Fiat Uno circula por Campo Grande com mais de R$ 1,3 milhão...

Fiat Uno circula por Campo Grande com mais de R$ 1,3 milhão em dívidas com Detran

COMPARTILHAR

O que para muitos pode parecer uma peça de ficção, para o Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) é sério e provoca revolta ao órgão de trânsito. Desde 2015, ano em que venceu o licenciamento, circula pelas ruas de Campo Grande um Fiat Uno, modelo 2014, com diversas multas e infrações, que totalizam uma dívida acumulada de R$ 1.355.511,39 referente a 161 multas, a maioria por excesso de velocidade.

A maior delas chega a R$ 64,2 mil por transitar em velocidade superior a máxima permitida em mais de 50%. Também há multa por não identificação do condutor infrator, imposta a pessoa jurídica, e, quando isso ocorre, a multa é lançada em dobro e o valor já está em R$ 1,2 milhão. Conforme a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), a famosa Tabela Fipe, um Fiat Uno 2014 é avaliado em cerca de R$ 20 mil e, com o valor das infrações, é possível comprar uma frota de aproximadamente 67 carros iguais ao veículo infrator.

O automóvel já está com mandado de busca e apreensão emitido e, portanto, circula de forma irregular pelas ruas da Capital. Apesar de o levantamento do sistema do Detran/MS apontar que o Fiat Uno tem mais de R$ 1,3 milhão em dívidas, esse montante de multas e de valor em dinheiro pode aumentar ainda mais porque só estão computadas as multas urbanas, ou seja, que são as que ocorrem dentro da cidade, enquanto as multas Renainf, isto é, aquelas que são as geradas nas rodovias, não foram contabilizadas.

Caso o veículo seja parado em alguma blitz pela cidade, será apreendido e levado para o pátio do Detran/MS em Campo Grande e o condutor, caso seja comprovado que ele era o responsável pela condução do veículo em todas as infrações registradas, terá o direito de dirigir suspenso. Além disso, o automóvel só será liberado depois que todas as pendências forem quitadas.

O Fiat Uno já é considerado, de longe, o campeão de multas no Estado. Porém, esse automóvel não está sozinho nessa restrita lista de infratores de trânsito, há também uma moto Titan CG, que tem um número recorde no número de multas aplicadas: 872 multas, que totalizam o valor de R$ 228 mil.

Segundo o órgão de trânsito de Mato Grosso do Sul, a maioria das multas emitidas contra essa motocicleta, que também é de Campo Grande, também por transitar em velocidade superior a máxima permitida. Apenas por essa infração, a motocicleta tem um total de R$ 40,2 mil em multas.

Muitos outros

O problema do UNO 2014, com certeza não é o único em Campo Grande onde centenas de outros estão circulando com impostos e documentação vencidos, em nome de terceiros por já estarem com vários outros proprietários sem que tenham sido transferidos. Assim como o caso do 2014, os demais demonstram que as frequentes e permanentes operações da Polícia Militar, Agetran e Guarda Municipal na prática funcionam meramente como fonte de renda para os cofres do município e estado, além do dono do guincho a serviço do Detran

Não é preciso ser cientista para saber que a maioria das pessoas com carro ou documentação irregular não passa onde tem blitz, raramente isso acontece. Paralelo a isso, Polícia, Agetran e GCM, não aplicam a fiscalização móvel, em veículos trafegando e principalmente parados, por mais que os veículos ou condutores tenham infração à vista.

Em assim sendo, o azar é de quem paga os impostos em dia e quem tem a infelicidade de ter seu carro “levado” por alguém para transferir depois e pior ainda para o tonto que confia no amigo, passa o carro para ele regularizar, mas o sujeito simplesmente passa pra frente, pega um “troco”, ainda some com o recibo e acha que tudo vai continuar às mil maravilhas, sabendo que se depender de blitz e fiscalização, realmente ficará, pois em alguns casos o esperto até sabe onde e quando tem blitz e ainda avisa o comprador.