Fórum Nacional de Emissoras Públicas apoia escolha de novo presidente da Anatel

Fórum Nacional de Emissoras Públicas apoia escolha de novo presidente da Anatel

COMPARTILHAR
Moisés Queiroz Moreira, secretário nacional de Radiodifusão indicado para a Agência Nacional de Telecomunicações

Antônio Coca

Em reunião na semana passada em Brasília, o Fórum Nacional de Emissoras Públicas de Rádio e Televisão referendou apoio à indicação de Moisés Queiroz Moreira para a presidência da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Atual secretário nacional de Radiodifusão, ele teve o nome indicado pelo presidente Michel Temer para comandar a agência em 18 de outubro, já sendo aprovado pela Comissão de Infraestrutura do Senado. O plenário da Casa deve realizar sabatina com Moreira nesta semana a fim de também aprovar a escolha. Na ocasião, também foi recebida a notícia da liberação de R$ 251 milhões para a produção audiovisual para emissoras de televisão.

O respaldo à indicação foi repassado em reunião a Moreira pelo presidente do fórum das emissoras, Bosco Martins, da qual também participaram William Ivo Koshevnikoff Zambelli, coordenador-geral de Televisão Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações; Rodrigo Gebrin, coordenador-geral de Radiodifusão Educativa do MCTIC; Sérgio Kobayashi, vice-presidente do Conselho Diretor da TV Cultura de São Paulo; e Fábio Borba, secretário nacional do Fórum de Emissoras e gerente-executivo da TV Cultura.

“Moisés Moreira foi um secretário de Radiodifusão que atuou com muita seriedade e sensibilidade em relação às empresas públicas de comunicação dos Estados, demonstrando competência em exercer a função em um momento crucial para a grande maioria das emissoras de TV estatais, que foi a migração para o sistema digital”, destacou Kobayashi, ex-presidente do fórum de emissoras –ele passou o cargo a Bosco Martins neste ano.

Além de destacar o trabalho do indicado para a presidência da Anatel em relação às emissoras públicas, Fábio Borba frisou que Moreira comandou uma gestão democrática na Secretaria de Radiodifusão.

“Tratou-se de uma gestão que soube olhar tanto para o setor público como para o privado e que, sem dúvida, comandará um trabalho excepcional na presidência do órgão de regulação e que estará de portas abertas para atender o setor de telecomunicações. Desta forma, o fórum de emissoras públicas está extremamente confortável em reforçar seu apoio à indicação de Moisés Queiroz Moreira para a presidência da Anatel”, disse Borba.

Audiovisual terá R$ 251 milhões em 2019

As emissoras públicas ainda receberam a notícia sobre a abertura, por parte da Ancine (Agência Nacional do Cinema), de editais para a produção audiovisual, já autorizada pelo ministro Sérgio Sá Leitão e pelo diretor-presidente da agência, Christian de Castro. Os recursos do FSA (Fundo Setorial do Audiovisual) totalizam R$ 251 milhões, dos quais R$ 20 milhões, segundo Bosco Martins, estão garantidos para o Centro-Oeste.

“Por meio dessas chamadas públicas, produtores de todo o país poderão se candidatar à produção de programas que, em breve, serão veiculados na rede pública brasileira. Uma boa notícia para os responsáveis pela criação de produtos regionais”, frisou Bosco, que também preside a Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul. “E, com a garantia de que cerca de R$ 20 milhões estão carimbados para a região Centro-Oeste, sem dúvida teremos oportunidade de apresentar um pouco mais do nosso Estado ao restante do país”, complementou.