Funcionárias de pecuarista estão presas suspeitas no assassinato

Funcionárias de pecuarista estão presas suspeitas no assassinato

COMPARTILHAR

A Polícia Civil segue em operação em Campo Grande e interior do Estado para apuração do assassinato da pecuarista Andreia Aquino Flores, 38 anos, ocorrido nesta quinta-feira (28), no Condomínio Parque Cachoeira, área nobre da Capital onde a vítima morava. O caso é investigado por equipes da Delegacia de Roubos e Furtos – DERF, diante da possibilidade, uma delas, de ser crime de latrocínio, morte seguida de roubo e conta com apoio do GOI – Grupo de Operações e Investigações.

As duas funcionárias da vítima, Jessica Neves Antunes e a mãe, Lucimara Rosa Neves, estão presas e devem ser peça chave para levar a outros envolvidos no crime. Uma das primeiras apurações da polícia foi que mãe e filha teriam passagens pela polícia.

Conforme policiais experientes na investigação de crimes complexos, eventuais contradições nos relatos das mulheres quando comparados as imagens de segurança no Fort Atacadista, quando as mulheres teriam sido capturadas, do trajeto de ida e volta entre o atacado e o condomínio onde a vítima morava e estava morta e quando os supostos matadores teriam sido deixados por uma das mulheres no bairro Tiradentes após o crime, podem definir o norte da investigação.

Consta que a família de Andréia não acredita na versão contada logo após o crime. Também não estrai crendo em envolvimento de questões familiares como herança ou atentado ocorrido tempos atrás contra o ex-marido da vítima. Outro ponto que a polícia ainda não se manifesta, é se surgiram indícios do crime ter ocorrido em outro local e “plantado” na casa e o corpo lavado. As investigações e operações sobre o caso estão intensificadas.