Governo do Amazonas diz que mandantes de mortes em presídios foram identificados

Governo do Amazonas diz que mandantes de mortes em presídios foram identificados

COMPARTILHAR

Uma disputa entre presos que integram a mesma facção criminosa é apontada pelo governo como a causa do assassinato de 55 detentos ocorrido em presídios de Manaus em pouco mais de 24 horas.

A matança teve início no domingo (26), quando 15 presos foram assassinados durante a visita de familiares no Complexo Penitenciário Anísio Jobim – o Compaj. Em uma ação coordenada, nessa segunda-feira (27) outros 40 presos foram assassinados em quatro unidades prisionais.

Após as mortes, o governo suspendeu as visitas em todas as unidades prisionais do estado. Um Gabinete de Crise envolvendo órgãos do sistema de segurança, poder judiciário e representantes do legislativo, foi criado.

Os reforços federais da Força Tática de Intervenção Prisional começam a chegar nesta terça-feira (28), em Manaus, para atuar na intervenção nos presídios. A expectativa é que 100 agentes estejam na cidade até o fim da semana. O governo também pediu a extensão da presença da Força Nacional que já atua em apoio nas unidades prisionais desde 2017.