Governo exonera diretor que permitiu líder religioso negociar compra de vacina

Governo exonera diretor que permitiu líder religioso negociar compra de vacina

COMPARTILHAR

O diretor de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Laurício Monteiro Cruz, foi exonerado pelo governo federal. Ele foi quem autorizou o reverendo Amilton Gomes de Paula e a entidade presidida por ele, negociar 400 milhões de doses de vacina AstraZeneca em nome do governo brasileiro.

A exoneração foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (8) e é assinada pelo ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos. A exoneração acontece um dia após a oficialização de Roberto Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, também citado nas negociações de compra da vacina com a empresa americana Davati Medical Supply. Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, Dias negou que tenha negociado os imunizantes.

Amilton líder religioso ligado à Igreja Batista e presidente da Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários (Senah). Foi ele quem abriu as portas do Ministério da Saúde para Luiz Paulo Dominghetti, que se apresenta como vendedor da Davati e confirmou à CPI da Pandemia que recebeu oferta de propina enquanto tentava fechar negócio para a venda de vacinas da Astrazeneca. A convocação do reverendo foi aprovada ontem pela CPI e ele deve depor na próxima quarta-feira (14).

Fonte: Cprreio Braziliense