Guarda Municipal integrava esquema de tráfico desmontado pelo Choque na Capital

Guarda Municipal integrava esquema de tráfico desmontado pelo Choque na Capital

COMPARTILHAR
Carro usado no tráfico.

Entre os presos por tráfico na madrugada deste domingo (14) em ação do Batalhão de Polícia Militar de Choque – BPMChoque, está o Guarda Civil Metropolitano – GCM Kleyton Rodrigues Lima. Com a prisão, a polícia apurou algum tipo de ligação dele, além do tráfico, com os assaltantes que há dias vinham agindo em Campo Grande inclusive em um dos assaltos, atirando contra um oficial reformado do Exército durante tentativa de roubo da caminhonete da vítima.

Kleyton foi apanhado em uma casa do Jardim Canguru, alugada por presidiário do Segurança Máxima e onde a esposa do preso era responsável pela guarda de maconha. Após encontrar dentro da casa 29 tabletes da droga, a equipe do Choque percebeu um Voyage no quintal, veículo propriedade de Kleyton, que tinha um fundo falso onde após indicação por cão farejador, foi aberto e encontrados tabletes de maconha que o guarda não soube explicar.

As primeiras apurações da polícia revelam que Kleyton recebia a droga e levava para a casa no Jardim Canguru. Cabia ainda ao indivíduo, além da guarda o transporte da droga em pequena quantidade para não despertar suspeitas, sendo que em caso de eventual abordagem policial, “daria a carteirada” usando sua condição de GCM.

Revolta

Integrantes da GCM manifestaram neste domingo revolta ao saberem do envolvimento de Kleyton com o tráfico de drogas. Além de revolta, os servidores não escondem a tristeza pela opção do indivíduo pelo lado do crime.

Em razão do fim de semana o portal TempoMS não conseguiu ouvir a administração da Guarda Civil Metropolitana. Kleyton segue preso e passará por audiência de custódia nesta segunda-feira (15).