Homem é preso na recepção da Delegacia da Mulher ao tentar impedir...

Homem é preso na recepção da Delegacia da Mulher ao tentar impedir esposa denunciar agressões

COMPARTILHAR
Foi e ficou no lugar certo.

Na manhã desta sexta-feira (4), um engenheiro elétrico de 28 anos que não terá o nome divulgado para preservar a vítima, foi preso e autuado em flagrante na DEAM após ter seguido a esposa até a Casa da Mulher Brasileira, para coagi-la a não registrar agressões praticadas por ele durante a madrugada.

Segundo a ocorrência, por conta de ciúmes, o indivíduo passou a agredir fisicamente a vítima que precisou fugir pulando a janela, já que a casa estava trancada. Ele a perseguiu pela rua, alcançando-a e trazendo-a de volta arrastada pelos braços, cabelose roupas.

Ainda segundo a vítima, o agressor a jogou de volta pela janela para o interior do imóvel, e iniciou uma violenta agressão a socos e tapas no rosto e cabeça, além de bater o corpo e cabeça da vítima contra a parede, provocando diversas lesões visíveis.

Durante as agressões, o engenheiro chegou a rasgar as roupas da mulher a deixando seminua, e lhe proferindo palavras ofensivas. Não satisfeito, trancou a porta do quarto e escondeu a chave, mantendo a vítima em cárcere privado até o amanhecer, quando foi para o trabalho e a vítima pediu ajuda a familiares que a encaminham à Delegacia da Mulher.

Contudo o homem rastreou a localização da vítima pelo GPS em seu celular e foi à Delegacia para tentar convencer a vítima a não registrar os fatos, causando temor a familiares da mulher que estavam na recepção, uma vez que anteriormente ele havia ameaçado de morte mãe e irmã da vitima, caso lhes contasse sobre as agressões.

O homem recebeu voz de prisão ainda na recepção da Unidade e autuado em flagrante, aguardando audiência de custódia. Interrogado, ele confirmou a situação de ciúmes, mas alegou que teria desferido um tapa no rosto da vítima, negando as demais agressões. Sobre monitorar a vítima pelo GPS alegou que era um sistema de segurança que ambos usavam e um podia monitorar o outro, mas a vítima relatou possessividade e intenso controle de sua pessoa e ações por parte do marido.