Homem que matou e queimou a mãe volta a ser preso e...

Homem que matou e queimou a mãe volta a ser preso e diz que também a estuprou

COMPARTILHAR
Fotos: Adilson Domingos)

Policiais do Serviço de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil de Dourados voltaram prender na manhã deste sábado, Paulinho Cabreira, 19 anos. Ele tinha sido preso na quinta-feira (26) acusado de matar e colocar fogo no corpo da mãe dele, Marina Cabreira, 41 anos. O crime aconteceu no dia 23 deste mês e como Paulinho tinha escapado do flagrante foi ouvido e liberado.

Porém o delegado responsável pelo SIG, Rodolfo Daltro pediu a prisão preventiva dele e o Ministério Público deu parecer favorável à prisão e ela acabou sendo decretada no final da tarde de ontem (27).

O delegado disse ontem, que ele só não tinha ficado preso por conta do Código de Processo Penal e que iria solicitar a preventiva de Paulinho que tinha confessado ter matado a mãe e colocado fogo no corpo. Como a Prisão Preventiva foi decretada na manhã deste sábado os policiais foram até o local onde o indivíduo estava e ele acabou preso.

Ontem Paulinho tinha confessado o crime e disse que houve um desentendimento entre ele e a mãe por causa de R$ 10, mas hoje ele disse que a matou porque ele estava estuprando a mãe que dormia, e no momento que cometia o ato, ela teria acordado e por isso ele a matou com golpes de faca.

Depois de esfaquear a mãe, Paulinho jogo algumas roupas e restos de madeira sobre o corpo e colocou fogo. No momento que o companheiro de Marina acordou sentindo cheiro de fumaça e encontrou o corpo parcialmente queimado, o assassino fugiu do local.

Paulinho acusou o namorado da mãe de ser o autor do crime. Ele chegou a ser preso, mas foi solto na madrugada do dia 24 depois de prestar depoimento e apontar o filho como o possível executor de Marina.

A soltura do assassino confesso, revoltou a sociedade nas redes sociais a indignação era grande. Nos meios policiais os investigadores e alguns delegados diziam que era uma questão de tempo para que a prisão preventiva do feminicídio fosse decretada o que acabou acontecendo.

Criminoso frio

Na manhã deste sábado ao ser preso, Paulinho demonstrava frieza e só estava preocupado com R$ 2 mil que a mãe tinha depositado em uma conta bancária. Ele deve ser levado ainda hoje para a Penitenciária Estadual de Dourados e deverá ficar em uma local isolado de outros presos.

Preso, diz estar preocupado com dinheiro que a mãe botou no banco.