Homem que torturou esposa até a morte e fugiu, foi preso hoje...

Homem que torturou esposa até a morte e fugiu, foi preso hoje em Mato Grosos

COMPARTILHAR
Adailton foi preso quando chegava em Mato Grosso para se esconder na casa de parentes.

Adailton Freixeira da Silva, 46 anos, que torturou até matar a esposa Francielli Guimarães Alcântara, de 36 anos, foi preso na rodoviária de Cuiabá, Mato Grosso. O homicida era caçado em Campo Grande, inclusive nesta segunda-feira (31), uma Força Tarefa encabeçada pela DEAM, Batalhão de Choque, BOPE e SIG, fez uma série de buscas ao criminoso, depois de informes indicando que ele poderia estar na casa de familiares em Campo Grande.

Preso pela Polícia de Mato Grosso, Adailton deve passar por audiência de custódia nessa terça-feira (1º). Em sendo mantida a prisão, ele será imediatamente recambiado para Campo Grande por policiais da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher – DEAM. A prisão foi confirmada esta tarde pela delegada Elaine Benicasa, titular da Delegacia da Mulher.

Requintes de crueldade

Adailton torturou e matou Francielli com requintes de extrema frieza e crueldade, barbarismo que teria praticado diante do filho, ameaçado de espancamento e morte para não revelar o que a mãe sofria por quase 20 dias. Inicialmente, o caso foi tratado como morte natural pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Mas ao analisar o laudo da funerária, o delegado que atendeu ao caso percebeu lesões. O corpo foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito – SVO, e o médico retornou, informando que as lesões verificadas eram incompatíveis com morte natural, sendo o corpo de Francielli encaminhado ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), onde foi confirmada a morte violenta.

Entre as lesões constatadas no corpo da vítima estão estrangulamento, asfixia através de cordão em volta do pescoço. Dente e unhas quebradas, ferimentos na cabeça, e o cabelo totalmente cortado entre outras, evidenciando o barbarismo que ela sofreu por cerca de um mês sendo mantida em cárcere privado na residência da família, no Bairro Portal Caiobá. Os crimes teriam sido cometidos após supostamente a mulher confessar uma relação extraconjugal.