Indústria de alimentos e bebidas de MS prevê crescimento de 3,5% em...

Indústria de alimentos e bebidas de MS prevê crescimento de 3,5% em 2020

COMPARTILHAR
Indústria de alimentos em franca produção no MS.

A indústria de alimentos e bebidas de Mato Grosso do Sul fechou 2019 com um valor bruto da produção (VBP) de R$ 3,842 bilhões, um crescimento de 2,3% em relação a 2018, quando o segmento alcançou R$ 3,753 bilhões. Para 2020, os empresários preveem uma alta ainda maior, na casa de 3,5%, o que elevará o valor bruto da produção para R$ 3,973 bilhões.

Em nível nacional, a indústria de alimentos fechou 2019 com crescimento real de 2,3%, atingindo um faturamento de R$ 699,9 bilhões, enquanto em 2018 o segmento faturou R$ 656 bilhões. Para 2020, a previsão é de um crescimento real de até 3,5%, movimentando R$ 724,3 bilhões.

Segundo o presidente do Siams (Sindicato das Indústrias de Alimentos e Bebidas de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen, um percentual de crescimento acima de 3% é muito positivo. “Nós da indústria da alimentos e bebidas entendemos que é muito significativo. É importante estarmos crescendo e nós acreditamos muito nesse novo Brasil que se desenha e avança”, avaliou.

Ele analisa também que a taxa de crescimento no ano passado também foi muito significativa. “Hoje, temos 914 estabelecimentos no segmento da indústria de alimentos e bebidas de Mato Grosso do Sul, que juntos empregam 11.998 trabalhadores com carteira assinada. Com a continuidade desse crescimento ano a ano, com certeza vamos gerar mais empregos”, analisou.

Números nacionais

Dados da ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos) apontam que o segmento respondeu por 9,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano passado e gerou 16 mil novas vagas, empregando diretamente 1,6 milhão de pessoas. Para 2020, as exportações de alimentos industrializados devem atingir entre US$ 36 bilhões e US$ 38 bilhões, enquanto em 2019 as vendas para o exterior somaram US$ 34,1 bilhões.

Em 2019, a indústria de alimentos e bebidas investiu R$ 22,3 bilhões no País, valor 4% acima do valor registrado no ano anterior, segundo a ABIA. Esse valor inclui investimentos em fábricas, fusões e aquisições, segundo a entidade. O total investido no ano passado equivaleu a 3,2% do faturamento total do segmento.

Em média, a atividade investe de 3,5% a 4% do faturamento por ano e, para 2020, o investimento deve ficar nessa faixa de 3,5% a 4% do faturamento. Esses percentuais equivalem a um valor de investimento entre R$ 25 bilhões e R$ 28,9 bilhões, considerando a previsão de crescimento do setor entre 2,5% e 3,5% em 2020.

Fotos: Divulgação.

Com Assessoria