Justiça proíbe que corpo do miliciano Adriano da Nóbrega seja cremado

Justiça proíbe que corpo do miliciano Adriano da Nóbrega seja cremado

COMPARTILHAR

O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) proibiu, em decisão desta quarta-feira, a cremação do corpo do miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega, morto na Bahia pela polícia no último domingo. A família do ex PM fez o pedido através de uma liminar, que não foi concedida pela juíza Maria Izabel Pena Pieranti, do plantão judiciário.

O pedido é necessário por se tratar de uma morte violenta, pois somente a justiça pode autorizar. A cerimônia de cremação estava prevista para 10h de hoje no Crematório do Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, Zona Portuária do Rio.

A magistrada alega na decisão que “não se encontram preenchidos os requisitos previstos na Lei de Registros Públicos (lei 6.075/1973)”. Ela também justifica que não constam no pedido documentos necessários para a cremação, como a cópia da Guia de Remoção de Cadáver e o Registro de Ocorrência.