Karlos da UCP defende melhor distribuição do FUNDERSUL

Karlos da UCP defende melhor distribuição do FUNDERSUL

COMPARTILHAR

Conversando com produtores rurais e empresários do setor industrial durante a abertura da Show Tec em Maracaju nesta quarta-feira (26), o pré-candidato a deputado federal Karlos da UCP defendeu uma melhor distribuição das verbas arrecadadas com o (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado do Mato Grosso do Sul), o FUNDERSUL.

Para Karlos, apesar de pagar pelo tributo, muitos empresários rurais deixam de ser atendidos e com isso enfrentam dificuldades para escoar aquilo que produzem. Ele defende uma reformulação na maneira de investir o que é arrecadado e promete, caso eleito, se empenhar para que o benefício chegue a todos os municípios independentemente de apadrinhamento político ou outro tipo de influência. Ele entende que muitas regiões recebem grandes investimentos enquanto outras acabam esquecidas pelo poder público.

“Andando pelo Estado dá para notar que existe muita carência de investimentos em diversas localidades e os produtores rurais além de pagar o imposto ainda precisam bancar com a construção de pontes, consertos de estradas e com as melhorias que deveriam ser feitas com o que é arrecadado pelo Governo do Estado. Isso é quase uma bitributação pois quem produz tem que desembolsar duas vezes para tirar a produção da fazenda”, disse ele.

Karlos da UCP se comprometeu com os empresários rurais em continuar defendendo a construção de pontes de concreto, e melhoria das estradas vicinais a pavimentação de estradas importantes para o escoamento da produção e em todos os aspectos que representem avanços para o setor do agronegócio.

O FUNDERSUL consiste em pagar uma porcentagem sobre uma unidade de referência fiscal chamada UFERMS (Unidade de Referência Fiscal do Estado de Mato Grosso do Sul) da produção rural e da venda de óleo diesel. A UFERMS hoje equivale a R$ 12,10. Para bovinos até 12 meses paga-se 29,42% de uma UFERMS por cabeça. Já para bovinos acima de 12 meses, 46,03% de uma UFERMS por cabeça.

No ano passado foram arrecadados R$ 1,57 bilhão, sendo que R$ 1,22 bilhão vieram da arrecadação por meio da contribuição dos proprietários de caminhões e automóveis e dos produtores rurais. “É dinheiro suficiente para atender todos os produtores rurais de Mato Grosso do Sul sem que muitos deles necessitem tirar do bolso para fazer as obras que deveriam ser feitas com os recursos do FUNDERSUL”, concluiu Karlos da UCP.

Karlos da UCP falou a produtores e empresários.

Assessoria