Líder do “novo cangaço” e comparsa são executados em Mato Grosso

Líder do “novo cangaço” e comparsa são executados em Mato Grosso

COMPARTILHAR
Perigoso, "Nenezão pode ter sido atraído para cilada. (Foto: Nobres Notícia)

O líder de uma quadrilha de roubo a bancos, na modalidade conhecida como “novo cangaço”, Lindomar Alves de Almeida, o “Nenezão”, foi executado a tiros, em Nobres (distante 146 km de Cuiabá), na manhã desta sexta-feira (3). Considerado de alta periculosidade, ele estava com o comparsa, identificado apenas como Geraldo, em uma caminhonete, quando foram surpreendidos pelos executores.

Segundo o registro do caso, a polícia foi chamada por moradores que viram a ação. As pessoas relataram que uma caminhonete estava estacionada na rua Cuiabá e logo atrás parou um carro de passeio cor branca. Os ocupantes do carro desceram armados com armas de cano longo, e atiraram contra os ocupantes da caminhonete várias vezes e em seguida fugiram.

Os militares foram ao local da execução e encontraram “Nenezão” já morto. A segunda vítima foi socorrida e levada de ambulância para o hospital da cidade, mas morreu no caminho. A Polícia Civil e a Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foram acionadas e realizaram os levantamentos de praxe.

Uma caminhonete que estava estacionada próximo ao veículo das vítimas também foi atingida no vidro traseiro. O caso será investigado pela Polícia Civil e os suspeitos ainda não foram localizados.

Em outubro de 2019, “Nenezão” foi condenado a 10 anos de prisão por assalto ao Banco do Brasil, de Paranatinga, em Mato Grosso. Na ocasião, a quadrilha levou R$ 1 milhão da agência. Ele foi preso em 2014 e solto em dezembro passado. Respondia por mais de 20 roubos a bancos em seis estados brasileiros.