Matadores de policial devem ser levados para fora de Maracaju

Matadores de policial devem ser levados para fora de Maracaju

COMPARTILHAR
Segundo polícia, ordem para matar PM partiu de facção.

Só na noite desse domingo (10) a Polícia Civil de Maracaju deverá concluir os procedimentos (flagrante e demais peças) sobre o assassinato do policial militar Juciel Rocha Professor, crime ocorrido nessa madrugada em uma lanchonete localizada no centro da cidade. Dos suspeitos de envolvimento no crime, quatro estão presos e um morreu em confronto com policiais militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais – BOPE e do CHOQUE.

“Bituca” forneceu a motocicleta

Em seguida ao assassinato do soldado Rocha, lotado em Maracaju, o Comandante Geral da Polícia Militar foi comunicado e acionou equipes dos Batalhões Especiais enviadas para a cidade. Em Maracaju as equipes iniciaram operação especial em conjunto com a PM da cidade, Polícia Civil e DOF.

A cidade e região passaram a ser vasculhadas sendo que a reação da polícia e população, pode ter assustado o executor do crime, pois poucas horas após o assassinato, por volta de 4h da madrugada, o autor confesso do crime se apresentou na Policia Civil acompanhado de dois advogados.

Autor procurou a polícia na madrugada

Por conta do andamento do flagrante, os nomes dos envolvidos ainda são desconhecidos, se tratando de indivíduos moradores em Maracaju com idades de 20, 22, 30 e 21 anos. No andamento da operação, policiais do BOPE e CHOQUE identificaram a motocicleta usada pelo pistoleiro, sendo como de responsabilidade e fornecida por Marcos Maciel Benites, 21 anos, o “Bituca”. Com passagens pela polícia, ao ser localizado e receber ordem de parada, não obedeceu e reagiu atirando contra os policiais que revidaram e ele morreu. Outros dois envolvidos foram presos pela Polícia Civil e o quinto, pela Polícia Militar local.

A Polícia apurou que a ordem para executar o policial teria partido do Primeiro Comando da Capital (PCC), sendo inclusive constatado que após a execução, os envolvidos telefonaram para uma liderança reportando o “sucesso da missão”. A Polícia Civil estuda a possibilidade de após o encerramento do flagrante, encaminhar os homens para presídio fora de Maracaju. O corpo do soldado Juciel Rocha Professor, está sendo velado na Câmara Municipal de Maracaju, localizada na Rua. Francisco Marcondes, 201 – Vila do Prata.

Motocicleta usada na execução da vítima