Morador na fronteira foi executado e queimado em Minas Gerais

Morador na fronteira foi executado e queimado em Minas Gerais

COMPARTILHAR

Fabio Ribeiro Acosta, de 24 anos, morador em Sanga Puitã, na fronteira com o Paraguai, cuja mãe residente em Campo Grande nesta quarta-feira (27) recebeu mensagem supostamente dele pedindo R$ 5 mil para pagar resgate foi achado morto em Belo Horizonte. Ele foi executado a tiros e teve o corpo parcialmente queimado na periferia da capital mineira.

O crime aconteceu na terça-feira (26) sendo o corpo encontrado em um lote vazio no bairro Paulo Sexto, região Nordeste da capital mineira. Fabio foi executado com três tiros na cabeça e teve partes do corpo queimadas, dando a entender que a intenção era carbonizar a vítima.

Nas mãos de Fabio havia um baseado, o que para a polícia indica que criminosos teriam chamado a vítima para e a mataram de surpresa, conhecido no submundo como “casinha”, uma armadilha mortal. Os assassinos ainda deixaram outro baseado nas costas de Fabio, sendo o crime de autoria e motivação desconhecida e em investigação pelo DHPP – Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa. A autoria e motivação do crime são desconhecidas.

Prisão na fronteira

Fabio tinha antecedente em Ponta Porã. Com registro de várias abordagens para checagem policial, ele tinha passagem por tráfico de entorpecente, cumpriu pena e foi libertado mediante alvará de soltura em 2019.