Morre em São Paulo o cantor Franquito, menino prodígio da década de...

Morre em São Paulo o cantor Franquito, menino prodígio da década de 60

COMPARTILHAR

Morreu nesta quarta-feira (8) em São Paulo, o Pastor Franco, como passou ser conhecido o cantor da década de 50/60, Franquito. Filho de pais paraguaios, Nestor Franco e Ladisla Vila Maior, Franquito nasceu em 30 de março de 1947, em Aquidauana. Seu pai, Nestor Franco e iniciador da arte, deu a ele todas as influências da música guarani.

Franquito começou a cantar aos 5 anos e fez sua primeira atuação na ZYX 20 Rádio Difusora. Mais tarde foi para Campo Grande para cantar na P.R.I 7 Rádio Difusora. Foi nessa época, que surgiu sua primeira conquista, quando desobedeceu uma ordem da mãe, Ladisla, e apresentou-se em um circo. Do sucesso de sua atuação, recebeu um cachê de 800 cruzeiros e foi correndo, chorando de contente, entregar o dinheiro para a mãe.

Em 1957 Franquito foi contratado para atuar no Teatro Municipal de Assunção, no Paraguai onde realizou 20 apresentações de sucesso. Em seguida, cumpriu outros compromissos na Rádio Nacional em cadeia com a Rede de Emissoras Paraguaias.

Rapidamente, a Copacabana Discos teve conhecimento da existência no Paraguai, do artista brasileiro, enviou a Assunção um emissário para contratá-lo. A partir lançamento do primeiro LP pela Copacabana Discos, Franquito se tornou uma estrela em todo o Brasil, com uma intensa escala de shows em teatros, circos e cinemas. E em todos os lugares, Franquito era apresentado como o menino prodígio que nasceu na Princesa do Sul, Aquidauana, ainda no antigo Mato Grosso.