Morre ex-governador Wilson Barbosa Martins

Morre ex-governador Wilson Barbosa Martins

COMPARTILHAR
Wilson Barbosa Martins (Foto: Victor Chileno/Arquivo)

Morreu no final da madrugada desta terça-feira (13) em sua residência na Rua 15 de novembro, em Campo Grande, o ex-governador de Mato Grosso do Sul, Wilson Barbosa Martins. Há tempos com problemas de saúde, ele recebia cuidados médicos em casa.
Em junho passado, o ex-governador foi internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Proncor, em Campo Grande.

Em 2013, ele sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e em 2014, um mal súbito que o deixou internado por 21 dias. Em junho passado, o ex-governador foi internado no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Proncor, em Campo Grande. Wilson Barbosa Martins nasceu em Campo Grande, no dia 21 de junho de 1917. Membro de família de políticos, o tio, Vespasiano Barbosa Martins, participou da revolução de 1930, foi senador pelo antigo estado do Mato Grosso (1935-1937), constituinte (1946) e novamente senador pelo Mato Grosso (1946-1955).

Eleito prefeito de Campo Grande na legenda da UDN em outubro de 1958, assumiu a prefeitura em janeiro do ano seguinte. Em outubro de 1962 elegeu-se deputado federal por Mato Grosso, ainda na UDN. Deixando a prefeitura em janeiro de 1963 e em fevereiro assumiu na Câmara dos Deputados.

Em fevereiro de 1969 teve o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos pelo Ato Institucional nº 5, voltando a atuar na advocacia. Nas eleições de novembro de 1982 foi eleito governador do estado de Mato Grosso do Sul pelo PMDB. Desincompatibilizou-se do cargo em maio de 1986 para disputar uma cadeira no Senado nas eleições de novembro próximo, sendo substituído pelo vice Ramez Tebet.

Eleito senador da República, sempre no PMDB, ocupou a primeira vaga pelo Mato Grosso do Sul em fevereiro de 1987, quando tiveram início os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte (ANC). Em outubro de 1994 foi novamente eleito governador do Mato Grosso do Sul, passou o governo para Zeca do PT em janeiro de 1999. Ainda não foi informado o local do velório, que pode acontecer na Assembleia Legislativa com honras de estado.