Motoristas bêbados, aparenta epidemia em Campo Grande

Motoristas bêbados, aparenta epidemia em Campo Grande

COMPARTILHAR

Por mais que o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar tenha intensificado ações educativas e mesmo repressão a condutores embriagados, as pessoas aparentam não dar importância ao perigo para si e terceiros e, muito menos, consequências em dirigir embriagadas. Em alguns casos, policiais acabam desacatados, provocados e até desafiados por condutores que bêbados provocaram acidentes.

Só na noite desse sábado e madrugada de domingo, policiais militares tiveram sete casos de bêbados ao volante. Em duas situações eles provocaram acidentes, um chegou a causar dois acidentes pois após o primeiro tentou fugir acabando por se estatelar em uma árvore.

Em uma das situações, na área central de Campo Grande, o condutor bêbado por pouco não bate em uma viatura da Força Tática e seguiu em frente já em atla velocidade. Ao alcançar o indivíduo, policiais constataram que tanto ele como sua acompanhante estavam completamente bêbados. No carro, ainda havia uma pequena porção de maconha, que a mulher assumiu ser para consumo próprio.

As constatações de condutores bêbados ocorreram tanto em blitzes da Operação Lei Seca, como em abordagens rotineiras ou atendimento a acidentes quando policiais constataram que o autor da presepada estava literalmente bêbado. Em alguns casos, além de bêbado o indivíduo se apresentava “brabo” dirigindo palavrões contra os policiais e querendo “bater” em quem estava por perto.

Em todos esses casos, os sujeitos precisaram ser algemados até a entrega em delegacias como Depac-Centro ou Piratininga onde assinaram flagrante enquanto seus veículos eram levados para o pátio do Detran.