Mourão diz que com voto impresso rejeitado “não tem mais o que...

Mourão diz que com voto impresso rejeitado “não tem mais o que fazer”

COMPARTILHAR

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou nesta segunda-feira (9) que, caso o projeto do voto impresso seja rejeitado no Congresso, “não tem mais o que fazer”. Declaração foi dada a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto. “Acho que, a partir daí, não tem mais o que fazer. Está definido pelo Legislativo, pronto. Cumpra-se”, disse o general.

Mourão elogiou ainda a iniciativa do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), em ter levado a votação do projeto para o plenário da Casa. “Foi uma boa linha de ação do presidente Lira, porque aí coloca para o conjunto da Câmara de Deputados definir essa questão, né? Eu tenho dito a vocês, várias vezes, que isso é um assunto do Legislativo. Aquilo que o Legislativo decidir, nós temos que cumprir”, apontou.

Hoje (9), o presidente Jair Bolsonaro admitiu que o projeto de voto impresso do governo deverá sofrer derrota na Câmara e acusou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, de articular para a derrubada: “Apavorou alguns parlamentares”.

No último dia 6, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a proposta não deve ser aprovada pelo parlamento, uma vez que já deu sinais de derrota na comissão especial da Câmara dos Deputados. A PEC deverá ser votada nesta terça-feira (10).