Mulher é detida após fazer denúncia falsa de que PMs pediam dinheiro

Mulher é detida após fazer denúncia falsa de que PMs pediam dinheiro

COMPARTILHAR

Uma equipe Comando do Batalhão de Choque deteve por volta de 20h30 dessa quinta-feira (31), Margareth N. do Espírito Santo, após esta denunciar ao Centro Integrado de Operações – CIOPS – que policiais militares estariam pedindo R$ 600 ao filho dela por conta de uma motocicleta estacionada na calçada. Com a apuração e constatação de que o problema não existia, ela acabou enquadrada em comunicação falsa de crime, sendo encaminhada para a Polícia Civil.

Conforme o registro policial do caso, Margareth ligou no 190 comunicando que uma equipe da ROCAM estaria em frente a sua residência abordando seu filho, e que estaria solicitando dinheiro para liberar o mesmo da abordagem e por causa desse fato queria que uma equipe policial deslocasse ao local para poder representar contra policiais da ROCAM.

Uma equipe com oficial foi ao local da denúncia e entrou em contato com a denunciante e esta relatou que seu filho estava na calçada quando uma equipe da ROCAM o abordou e lhe perguntou por qual motivo ele estaria encarando os policiais. Disse ainda que a equipe avistou a moto estacionada sobre a calçada e falou que poderia ser notificado por isso, falando ainda que o valor da multa passaria de R$ 600.

Foi quando ela disse ter questionado a equipe se estavam querendo alguma propina e em seguida afirmou que não pagaria nenhuma propina para os policiais e correu para dentro da casa para ligar ao 190 e denunciar que os policiais estavam pedindo dinheiro para liberar seu filho. Disse ainda que depois desses fatos os policiais militares se retiraram do local.

Após os relatos foi questionado a Margareth se os policiais militares que abordaram seu filho solicitaram claramente alguma quantia em dinheiro para liberar o rapaz da abordagem, ela respondeu que não. Foi apurado ainda que após a retirada dos policiais, a mulher questionou o filho e seu esposo se os policiais haviam solicitado algum valor em dinheiro, os mesmos falaram para ela que não.

Ainda no local da denúncia, Margareth também afirmou ter entendido que os policiais queriam propina, porém em nenhum momento pediram uma quantia específica em dinheiro. Diante da controvérsia, a equipe designada para apurar o caso, que se confirmado prenderia os denunciados pela mulher, perguntou ao marido e ao filho dela se os policiais militares haviam pedido algum valor em dinheiro para liberar ou deixar de fazer a multa, estes responderam que não, detalhando que os policiais apenas falaram o valor da multa e orientaram para retirar a motocicleta da calçada.

Diante da situação e entendimento que houve uma falsa comunicação de crime no momento em que ela ligou no 190 e relatou que os policiais militares estavam pedindo dinheiro para liberar seu filho da abordagem, acabou detida e encaminhada para a DEPAC-Centro.