Mulher é internada para operar joelho direito, mas médico opera o esquerdo

Mulher é internada para operar joelho direito, mas médico opera o esquerdo

COMPARTILHAR
Imagem ilustrativa.

Um médico da cidade paulista de Araçatuba, está sendo acusado de fazer a cirurgia no joelho errado de uma paciente, comerciante de 54 anos, moradora em Araçatuba, que pagou R$ 13.800 pelo procedimento em um hospital particular da cidade. O caso aconteceu nesta sexta-feira e o médico teria dito que, mulher muitas vezes não sabe identificar direita e esquerda, e no fim, atribui o a fato a uma intervenção divina.

De acordo com o boletim de ocorrência, a paciente agendou cirurgia para sexta-feira (21) às 8h30, para realização de menisectomia (retirada de parte lesada do menisco) e uma osteocondroplastia (procedimento cirúrgico na cartilagem) no joelho direito, e havia pago pelo procedimento o valor de R$ 13.800.
Por volta das 13h, o filho da paciente, de 38 anos, teve acesso ao quarto onde a mãe se recuperava da cirurgia. A mulher estava bastante nervosa e chorosa, momento que mostrou ao filho o seu joelho direito bastante inchado, e o outro joelho, o esquerdo, com micropore, sendo o lado (errado) que havia sido realizada a cirurgia.

O filho da paciente questionou o corpo de enfermagem sobre o que havia ocorrido, e afirma que recebeu respostas evasivas quanto às suas indagações. O médico que realizou o procedimento retornou ao hospital, e em conversa privada com o filho da vítima, acabou dizendo que, “mulher muitas vezes não sabe diferenciar o que é direita ou esquerda!”, momento então que o filho, já bastante nervoso, pois estava pressentindo que o médico queria eximir-se da ação, perguntou ao médico, “então o senhor está querendo dizer que a culpa foi da minha mãe?”.

Ele afirmou que a mãe entrou para a cirurgia e levou junto ao peito uma pastinha com exames e receitas, e questionou se médico não teve sequer a preocupação de verificar se realmente àquele joelho que deveria ser operado. O médico, segundo o b.o., teria afirmado que cometeu sim um erro, e que iria corrigir, e depois foi até a direção do hospital, que está há alguns meses sob nova direção.

Após sair da reunião, ele informou que iria proceder a cirurgia no outro joelho, ou seja, no joelho que havia sido realizado vários exames e o que realmente estava agendado para cirurgia. Por volta das 17h20, após o término da cirurgia do joelho direito, o médico se reuniu com a filha da paciente, uma manicure de 34 anos, para dar detalhes do procedimento cirúrgico.

Ele tentou justificar-se dizendo que teria sido por uma intervenção divina que havia participado de sua decisão de operar o joelho esquerdo, pois o mesmo estava bastante crítico, e muito provavelmente necessitaria até quem sabe, de uma prótese, e que tal quadro se instalara em virtude do outro não estar funcionando de forma adequada sobrecarregando então este outro lado.

Os filhos da paciente registraram o boletim de ocorrência para que os responsáveis sejam penalizados pelo erro. Foi requisitado também um exame de corpo de delito. A Polícia Civil vai investigar o caso. O nome do médico assim como do hospital, ainda não foram revelados.