Na 8ª fase da Operação Laburu, o destaque para ação social da...

Na 8ª fase da Operação Laburu, o destaque para ação social da Polícia Militar

COMPARTILHAR
O Policial, Social e Comunitário juntos.

O 1º Batalhão de Polícia Militar – BPM responsável pelo policiamento preventivo e ostensivo na região central de Campo Grande, realiza desde as primeiras horas desta sexta-feira (22), a oitava fase da Operação Laburu, de prevenção e repressão a crimes contra o patrimônio – furtos ou roubos – tráfico e crimes de trânsito. Conforme define o comandante do 1º BPM responsável pela ação, tenente coronel Claudemir, além da questão policial, a Operação Laburu inclui ação social tanto com usuários de bebidas ou drogas ilícitas como atendimento a pessoas em situação de rua, muitas delas encaminhadas para atendimento, acolhida ou volta para suas cidades.

O contato com a população e orientação.

Iniciada por volta de 8h30 após preleção na unidade localizada na rua 26 de agosto, até o começo da tarde oito pessoas haviam sido presas em situação de flagrante, receptação, evadidas ou mandados de prisão. Mais de 150 abordadas, veículos e condutores abordados e vistoriados inclusive constatação de infrações de trânsito. Na questão preventiva, os policiais distribuíram mais de dois mil panfletos com orientação sobre segurança ou como acionar a Polícia Militar.

Lado social

Assim como nas fases anteriores da Laburu em que pessoas receberam atendimento social dos policiais militares com apoio do Conselho Comunitário de Segurança, através de seu presidente Eliezer Melo Carvalho, hoje um cadeirante em situação crítica de mobilidade, recebeu uma cadeira de rodas nova.

Ainda no início da operação os policiais abordaram Jonas dos Santos (42), há cinco anos nas ruas, a maior parte desse tempo na região da antiga rodoviária. Cadeirante desde que por conta de um acidente teve as duas pernas amputadas e usando cadeira sem nenhuma condição de mobilidade inclusive sem as rodas da frente, hoje recebeu uma cadeira nova.

Pela manhã ele foi abordado como os demais usuários que ficam na região da antiga rodoviária. Mas, depois da abordagem e ele ter sido revistado, o comandante do 1º Batalhão fez contato com o presidente do Conselho Comunitário de Segurança da região Central, onde conseguiram a doação da cadeira de rodas.

Eliezer disse durante a entrega da cadeira que “o coronel entrou em contato conosco nesta manhã e tínhamos uma cadeira de rodas que foi doada, ele contou a situação do Jonas e agora viemos entregar a cadeira para ele”. Esbanjando felicidade com o presente, Jonas disse entre outras coisas que “não tinha como andar direito”.

O presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Eliezer Melo Carvalho, conta que o conselho possui diversas parcerias que resultam nesse tipo de doação, e que sempre acompanha as operações da Polícia Militar dando apoio social para as pessoas em situação de rua. “Temos convênios com clínicas, os que mostram interesse em ser internados serão encaminhados, também estamos vendo na Santa Casa a possibilidade de 10 leitos para internação compulsória”.

Eliezer detalha exemplos nas parcerias inclusive com as polícias, contabilizando 68 moradores de rua que quiseram voltar para suas cidades de origem. “Levamos eles até a rodoviária e eles foram para suas respectivas cidades, dois deles já estão trabalhando em suas cidades”. Conclui.

Nas abordagens, prevenção e capturas.