Nova Aliança XXVIII elimina plantações de maconha na fronteira Paraguai/Brasil

Nova Aliança XXVIII elimina plantações de maconha na fronteira Paraguai/Brasil

COMPARTILHAR
Acampamentos e produção na mira dos agentes.

Um grande efetivo, formado por membros das Forças Especiais e Agentes Especiais da SENAD, deslocou-se à área conhecida como Santa Ana, no Departamento de Amambay. Helicópteros da Força Aérea do Paraguai e da Polícia Federal do Brasil estão atuando na área.

O objetivo é a realização de uma megaoperação, que permitirá destruir grandes volumes de drogas e afetará significativamente as estruturas que financiam a atividade criminosa.

Durante o primeiro dia de operações, as equipes conseguiram localziar e eliminar 10 campos de produção e 3.670 quilos da droga pronta para comércio. Além disso, 17 hectares de plantações da cannabis foram destruídos. Com a ação, foi interrompida a circulação de 54 Toneladas de maconha na região. O resultado representa uma perda de lucros para o tráfico de aproximadamente 1 milhão e 600 mil dólares americanos.

A “Nova Aliança XXVIII” não tem data para encerrar a atual fase e será realizada em diferentes pontos do Departamento de Amambay. A operação nasceu a partir de um convênio vigente entre a SENAD e a Polícia Federal, no âmbito da responsabilidade compartilhada contra o crime organizado. As intervenções são lideradas pelo procurador Celso Morales.

Esta ano, a SENAD destruiu 2.065 hectares de plantações de maconha. Isso representa a eliminação de mais de 6 mil toneladas do entorpecente, que em grande parte chegaria ao mercado brasileiro. Com as ações, ao longo do ano as finanças do narcotráfico foram afetadas com lucros cessantes que ultrapassaram 185 milhões de dólares.