Operação do GAECO afasta servidores que participariam de “organização criminosa”

Operação do GAECO afasta servidores que participariam de “organização criminosa”

COMPARTILHAR
Ação começou cedo pela prefeitura.

Antônio Coca

Em nota distribuída na manhã desta quarta-feira (15), o Ministério Público Estadual esclarece alguns pontos da Operação Contágio que foi deflagrada hoje pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO).

De acordo com o MP estão sendo cumpridos em Dourados e na Capital 14 mandados de busca e apreensão, além de 12 mandados com a fixação de medidas cautelares criminais em desfavor dos investigados (servidores públicos e particulares), dentre elas o afastamento dos cargos públicos e proibição de contratar com a Administração Pública.

Busca minuciosa

Os mandados e as medidas cautelares foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Dourados a pedido da 16ª, 10ª, 11ª e 17ª Promotorias de Justiça e estão sendo cumpridos com o apoio da Polícia Militar com o BOPE e Pelotão de CHOQUE.

Ainda segundo o Ministério Público Estadual, a Operação “Contágio” tem como objetivo desmantelar uma organização criminosa que estaria atuando em diversas fraudes em dispensas de licitação para aquisição de produtos e equipamentos no enfrentamento à COVID-19, no Município de Dourados.