Pacotes suspeitos enviados a Obama, Hillary e CNN deixam EUA em alerta

Pacotes suspeitos enviados a Obama, Hillary e CNN deixam EUA em alerta

COMPARTILHAR

O envio de pacotes suspeitos às casas do ex-presidente Barack Obama e da ex-secretária de Estado Hillary Clinton e à rede de tevê CNN levou a Casa Branca a se pronunciar sobre o que considera ser “atos de terror”. “Esses atos de terror são desprezíveis e quem for responsável será responsabilizado em toda a extensão da lei”, afirmou Sarah Sanders, porta-voz da Presidência dos Estados Unidos, nesta quarta-feira (24/10). “Serão tomadas todas as medidas apropriadas para proteger qualquer pessoa ameaçada por esses covardes.”

Mais cedo, o Serviço Secreto americano anunciou ter interceptado pacotes identificados como potenciais dispositivos explosivos enviados para as casas de Obama e Hillary. A correspondência para a ex-secretária foi identificado em Westchester, um subúrbio ao norte de Manhattan na terça-feira, e o pacote à residência de Obama, em Washington, nesta quarta-feira.

“Os pacotes foram imediatamente identificados durante procedimentos rotineiros de triagem dos correios como potenciais dispositivos explosivos e foram apropriadamente tratados como tal”, disse o Serviço Secreto em um comunicado. “Os protegidos não receberam os pacotes nem correram o risco de recebê-los”, acrescentou.

Redação evacuada

Além disso, a rede de notícias CNN anunciou, também nesta quarta-feira (24), que precisou evacuar sua redação em Nova York por causa de um pacote parecido com os que estavam dirigidos a Obama e Hillary. Policiais foram chamados para o Time Warner Center, onde está localizada a redação da CNN para investigar o conteúdo.

A CNN continuou a transmitir de sua redação em Washington e, em seguida, os jornalistas da rede continuaram a reportar da rua, e relataram que a brigada especializada em bombas da polícia de Nova York estava no local.