Para Coronel David, uso político da Covid-19 por adversários de Bolsonaro prejudica...

Para Coronel David, uso político da Covid-19 por adversários de Bolsonaro prejudica ações de Governo

COMPARTILHAR
Coronel David lamenta uso político de uma tragédia.

A despolitização do combate, no Brasil, ao novo coronavírus para frear o avanço da Covid-19 que aterroriza o mundo foi apontada pelo deputado Coronel David (sem partido) como um dos caminhos para que o governo Jair Bolsonaro possa tomar o comando das ações e implementar as estratégias necessárias.

O parlamentar, na sessão desta terça-feira (16), contestou o fato que vem sendo propalado desde o início da pandemia sobre uma suposta inércia da administração federal. Ele afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) tirou plenos poderes do presidente para comandar o processo contra a doença.

A questão do uso da Covid-19 como estratégia política aos opositores de Bolsonaro veio à baila na sessão quando o deputado Eduardo Rocha, do MDB, anunciou que apresentaria moção de apoio a médica Ludhmila Hajjar que, segundo a imprensa nacional, teria sido convidada para assumir o Ministério da Saúde e não aceitado. Ela teria passado a sofrer intensos ataques nas redes sociais, ao mesmo tempo que fazia declarações contra o governo.

David disse que, na realidade, ela apenas tinha sido chamada para uma reunião com o presidente, como outros candidatos ao cargo foram, mas não recebeu convite para ser ministra.

O parlamentar afirmou que respeita aquela profissional por reunir predicados técnicos reconhecidos na comunidade científica e não discute isso. Sua posição é que, mais uma vez, uma conversa em busca do melhor caminho para o enfrentamento à Covid foi politizada e ganhou amplo espaço na grande imprensa ávida em manter as críticas, como fogo cerrado, contra Bolsonaro. Assim, anunciou que votará contra à moção que o parlamentar emedebista anunciou que apresentará.

“Acho que não cabe a Assembleia Legislativa se posicionar nesse assunto de alguém que nem chegou a ser convidada, mas disse que não aceitou o convite. Tomou um caráter político quando deveria ser apenas técnico. Hoje o Brasil precisa de um ministro da saúde com pleno conhecimento científico para combater essa doença e isso nós teremos com o Ministro Marcelo Queiroga. Não dá mais para misturar com política”, declarou o deputado.