Paraguai e Brasil iniciam mega operação conjunta na área de fronteira

Paraguai e Brasil iniciam mega operação conjunta na área de fronteira

COMPARTILHAR

Autoridades do Paraguai e do Brasil estão unindo forças para combater o crime organizado, produção e tráfico de drogas, tráfico de armas e outros crimes transfronteiriços, como o contrabando através de fronteiras compartilhadas.

A ação conjunta é realizada através da Operação Ágata em território brasileiro e da Operação Basalto no território paraguaio. No Brasil a ação é encabeçada pelos Ministério da Defesa, Ministério da Justiça e Segurança Pública e Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. Por sua vez o Paraguai, atuam o Ministério da Defesa – Forças Militares – Estado-Maior Conjunto, o Ministério do Interior, a Secretaria Nacional Antidrogas, a Polícia Nacional e a Unidade Interinstitucional de Combate ao Contrabando.

O comando e controle operacional no Paraguai fica a cargo do Comando de Operações de Defesa Interna (CODI). De acordo com as autoridades, é uma operação coordenada entre as Forças Armadas e Organizações de Segurança do Paraguai e do Brasil para combater o crime organizado e outros crimes transfronteiriços, sendo uma demonstração de responsabilidade compartilhada e interesse comum no enfrentamento dos problemas de segurança que afetam os dois países. É a primeira vez que se atinge essa magnitude e nível de operação combinada, conjunta e interinstitucional.

Na noite desta terça-feira, (19), as principais autoridades das instituições que integram a Operação combinada reuniram-se na Villa Militar na cidade de Ponta Porã, para iniciar oficialmente as operações que seguirão até o final de julho. Participaram o Ministro do Interior Federico Delfino, Ministro da Defesa General Bernardino Soto Estigarribia, Ministro da SENAD Zully Rolón, o Comandante da Polícia Nacional Comissário General Gilberto Fleitas, a Assessora de Segurança da Presidência Cecilia Pérez, a Diretora da Unidade Interinstitucional de Combate ao Contrabando Emilio Fúster, entre outras autoridades.