Partido aponta “máfia interna” da ANR” pela morte de Acevedo

Partido aponta “máfia interna” da ANR” pela morte de Acevedo

COMPARTILHAR

O Autêntico Partido Liberal Radical (PLRA) se manifestou após a morte do prefeito liberal de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, vítima de ataque por pistoleiros. Os liberais criticaram duramente o governo de Mario Abdo Benítez e exigiram punição para os assassinos do prefeito de Pedro Juan Caballero.

“Esses momentos sombrios demonstram a completa inutilidade e manifesta cumplicidade do governo e exigimos que Mario Abdo Benítez investigue e puna os assassinos”, afirma a carta assinada pelo presidente do parttido Efraín Alegre. Pedem também que seja garantida a proteção física dos familiares do prefeito.

Na manifestação, Carolina Yunis, presidente do Conselho Municipal de Pedro Juan Caballero e cunhada do prefeito, disse que não confiam na Polícia e por isso preferem não ter guardas. Em outra parte do comunicado, o PLRA lembrou Acevedo e a família que ele formou, “formada por seu exemplo de vida honesta, solidária e empreendedora”. Da mesma forma, destacaram sua dedicação ao serviço público e os cargos que ocupou.

“Todos lamentamos sua partida precoce e também sorrimos porque ele viveu conosco e desfrutamos de sua qualidade humana”, expressaram e salientaram que o PLRA “fica sem um de seus principais baluartes”.

Da instituição política censuram que Acevedo “foi atingido por balas assassinas, disparadas pelos sicários da máfia, aninhados no Partido Colorado, submetidos a Horacio Cartes”. No entanto, eles deixaram claro que os últimos acontecimentos não impedirão o país de sair “de sua hora mais trágica”. Por fim, prometeram desmantelar toda a “estrutura institucional esvaziada e posta a serviço do crime”. Acevedo morreu por volta das 22h20 deste sábado devido aos tiros que recebeu no ataque que sofreu na tarde de terça-feira em frente ao Palácio da Justiça de Amambay.

A Polícia Nacional e o Ministério Público confirmaram que os projéteis usados para atacar o prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, coincidem com uma arma apreendida em 2017 após o assassinato de um homem. A arma pertencia a Fernando Javier Lezcano, o “Gordo”, assassinado em Pedro Juan Caballero.

Fonte: Ultima Hora