Paulo Cezar dos Passos é reeleito procurador-geral de Justiça em MS

Paulo Cezar dos Passos é reeleito procurador-geral de Justiça em MS

COMPARTILHAR
Paulo Cezar Passos, novo mandato (Foto:Divulgação/MPMS)

O Procurador de Justiça Paulo Cezar dos Passos foi reeleito procurador-geral de Justiça de Mato Grosso do Sul. Passos era candidato único ao cargo e conseguiu 180 votos no pleito que compreende o biênio 2018/2020. A eleição que teve início na manhã desta sexta-feira (23), foi encerrada às 17h na sede da Procuradoria-Geral de Justiça.

Compareceram a votação, 200 Procuradores e Promotores de Justiça, houve 19 abstenções e 20 votos em branco. Esta é foi a primeira vez na história do Ministério Público Estadual que apenas um candidato disputou o cargo.

“Agora vou continuar trabalhando atendendo aos interesses primários da sociedade, possibilitando uma maior estrutura aos Membros do Ministério Público e aos nossos servidores, mas principalmente, atendendo, de maneira mais eficiente, à sociedade que é a razão da nossa existência”, afirmou Passos.
A Comissão Eleitoral é composta ainda pelo Procurador de Justiça Mauri Valentim Riciotti (Secretário) e o Procurador de Justiça Hudson Shiguer Kinashi (membro).

Na prática, a eleição visa a formar uma lista tríplice, comumente composta pelos procuradores mais votados. A relação, em seguida é submetida ao governador do Estado, que realiza a indicação e agora deverá receber apenas o nome de Passos para ser chancelado.

Trajetória

Paulo Cezar Passos se afastou do cargo em janeiro, seguindo ordenamento da Lei Orgânica do Ministério Público que obriga o procurador-geral a se desligar do posto 60 dias antes da votação. Com o afastamento, o procurador-geral adjunto Humberto de Matos Brittes responde pelo MPMS.

O procurador assumiu o cargo em 6 de maio de 2016, escolhido em lista tríplice pelo governador Reinaldo Azambuja depois de ter sido o mais votado na eleição do MPMS naquele ano. Esta deve ser a última eleição do órgão na qual apenas procuradores podem disputar a chefia do MPMS. Emenda aprovada pela Assembleia Legislativa autoriza os promotores a concorrerem no pleito, o que deve ocorrer em 2020.