Perseguição policial começa em MS e termina em morte em Presidente Epitácio

Perseguição policial começa em MS e termina em morte em Presidente Epitácio

COMPARTILHAR
Marcas de tiros no vidro e lataria traseira do veículo.

Antônio Venâncio de Castro, 62 anos, morreu no final da manhã desta sexta-feira (21), ao levar um tiro na cabeça, consta que na nuca, durante perseguição por policiais militares na rodovia BR-267, região de Bataguassu. A ação policial teve início em Mato Grosso do Sul e terminou no perímetro urbano de Presidente Epitácio, no Estado de São Paulo.

Conforme a polícia paulista, os policiais que atuam à disposição da Secretaria da Fazenda de MS, na cobertura aos fiscais e postos fazendários, estavam no Posto Fiscal da divisa entre os dois Estados, quando deram ordem de parada ao condutor do Vectra placas DZB-0007/SP de Pontal. O condutor não obedeceu, acelerou e segundo os policiais, teria avançado na direção da equipe que efetuou disparos na direção do Vectra, mas este seguiu em fuga rumo a São Paulo, sendo iniciada perseguição pela BR-267, sentido ao estado vizinho.

A equipe policial conseguiu abordar o veículo somente numa estrada vicinal já no perímetro urbano de Presidente Epitácio, quando foi constatado que Antônio tinha um ferimento na cabeça. Ele chegou a ser socorrido, mas já estava morto.

Na versão dos policiais, os disparos foram efetuados antes de adentrarem ao Estado de São Paulo, sendo que equipes da PM de São Paulo apenas apoiaram posteriormente, quando o veículo já havia sido abordado pela equipe sul-mato-grossense.

No veículo foram encontrados produtos de baixo valor oriundos do Paraguai sem documentação fiscal e os dois ocupantes não estavam armados. Por determinação do Comando Geral da corporação, o caso está sendo apurado pela Polícia Judiciária Militar de Mato Grosso do Sul. Os policiais militares prestaram depoimento e foram liberados pela Polícia Civil do Estado de São Paulo.

O caso foi registrado em Presidente Epitácio como morte por intervenção policial e será encaminhado para investigação da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.