PF deflagra operação de repressão a crimes patrimoniais

PF deflagra operação de repressão a crimes patrimoniais

COMPARTILHAR
Ilustração.

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (1), a Operação Afentikó, para apurar a prática de crimes patrimoniais em detrimento de estabelecimentos comerciais de Campo Grande, cidades do interior de MS e em outros estados da Federação.

O líder da organização investigada é integrante de facção criminosa e, apesar de se encontrar preso em estabelecimento prisional desta capital, auxiliava na logística para concretização dos delitos, mediante o repasse de orientações aos demais integrantes que efetivamente praticavam os crimes, já que o investigado possuía todo “know how” nessa modalidade criminosa. Ao todo, são investigados 14 eventos criminosos.

As investigações contaram com o apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais – BOPE e do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul. A fase ostensiva da operação cumpriu mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva expedidos pelo Juízo da 5.ª Vara Criminal de Campo Grande. O nome da operação Afentikó tem origem grega e significa chefe ou patrão.