Piloto de Mato Grosso segue desaparecido após decolar para Corumbá

Piloto de Mato Grosso segue desaparecido após decolar para Corumbá

COMPARTILHAR
Valmir Nogueira Moreira, desaparecido Com Cessna 210

O piloto Valmir Nogueira Moreira de 63 anos segue desaparecido conforme registro da Polícia Civil de Poconé, Mato Grosso onde o caso foi comunicado pela família no dia 18. Segundo a família, Valmir desapareceu após decolar do aeroporto de Poconé no último dia 4 com destino a Corumbá. Familiares relataram na polícia que ele foi contratado para fazer um voo levando um mecânico e peças para conserto de uma aeronave em fazenda nas proximidades daquela cidade.

Valmir decolou com a aeronave Cessna 210 M matrícula PR-TRB, pertencente à Baunilha Participações S/A, do Espírito Santo, tendo como operador pessoa física de São Paulo. Filhos relataram para a polícia que antes de decolar o piloto manteve contato através de celular e os filhos também buscam por ajuda de amigos e terceiros através de redes sociais pois temem pela segurança do pai, relatando inclusive a preocupação pelo destino, Corumbá, na fronteira com a Bolívia.

Caso Paranaíba

Recentemente ao atuar e esclarecer caso de suposto desaparecimento do piloto Edmur Guimara Bernardes, de 77 anos, que teria sido assaltado em casa na cidade de Paranaíba e obrigado a decolar da cidade com uma aeronave monomotor, a partir do pouso da aeronave e o piloto na cidade de Cáceres, fronteira com a Bolívia, policiais civis da DECO, a Delegacia de Combate ao Crime Organizado, descobriram que o voo foi realizado a serviço do crime organizado, através do Primeiro Comando da Capital.

Piloto e o vigia do aeroporto teriam agido em parceria no suposto roubo mediante sequestro, em que o piloto esteve no Paraguai, inclusive voando na terminal Campo Grande (área do município) sem ser percebido pelo controle aéreo e do Paraguai voou para a Bolívia.

Ao reaparecer pousando em fim de tarde no aeroporto de Cáceres e fazer contato com a polícia, ele relatou o suposto sequestro que teria sofrido, por onde voou e pousou, mas sem detalhar coordenadas e de Cáceres retornou para Paranaíba onde foi ouvido e posteriormente preso pela DECO que encontrou registro de envolvimento do piloto com o narcotráfico, inclusive prisão.

Encomenda

Na investigação do “Caso Edmur” dentro da Operação Ícaro-Rota Caipira, a investigação da DECO a cargo da delegada Ana Cláudia Marques Medina, localizou áudios em que a organização criminosa tratava da necessidade e encomenda de três aeronaves. Entre elas a pilotada por Edmur.

O narcotráfico por sua vez, prefere as aeronaves 210, a pilotada por Valmir, por sua autonomia de voo, capacidade de carga e facilidade para abastecimento em voo através de ou galões suplementares. Depois do episódio Edmur, até então não havia registro de nenhuma aeronave furtada ou roubada nas regiões Centro Oeste ou interior paulista. Até o fechamento dessa matéria, a polícia de Poconé não tinha informação do paradeiro do piloto e aeronave.