Polícia apura destruição de ônibus em pátio da prefeitura de Aquidauana

Polícia apura destruição de ônibus em pátio da prefeitura de Aquidauana

COMPARTILHAR
Três ônibus escolares foram destruídos. (Foto: O Pantaneiro)

A Polícia Civil iniciou investigação na tentativa de apurar motivação e autoria de incêndio ocorrido na manhã deste domingo na garagem da Prefeitura Municipal de Aquidauana. Cinco ônibus do transporte escolar do município foram atingidos no incêndio.

A informação inicial, inclusive no registro policial do caso era de que três micro-ônibus teriam sido incendiados. Posteriormente, no mesmo registro foi acrescido que cinco veículos foram atingidos, dos quais três destruídos como também apontado como às 5h45, o horário que o incêndio começou.

Ainda não está definido se o incêndio foi acidental ou criminoso, o que ocorrerá com base em laudo de perícia além de investigação da polícia e oitiva de pessoas. Ouvido pelo jornal O Pantaneiro, o prefeito de Aquidauana, Odilon Ribeiro afirmou “Ainda não temos solução, mas vamos nos reunir com a Ivone (secretária de Educação) para tentar alugar outros veículos a fim de colocá-los no lugar dos avariados. É uma pena, pois se trata de um patrimônio público, e só havia um ônibus mais antigo, o restante eram todos novos. Tomara que seja um fato acidental, um curto-circuito, ou alguma coisa do tipo. Eu não acredito que uma pessoa possa fazer um absurdo desse para prejudicar, talvez, a minha pessoa. Mas na verdade, está prejudicando várias crianças que precisam do transporte. Mas vamos ter calma e verificar o que aconteceu de fato”, concluiu Odilon.

Até que a perícia defina as causas do incêndio, a polícia deve trabalhar com várias linhas de investigação. Uma delas de incêndio criminoso com base o último episódio registrado no município envolvendo indígenas. A operação de guerra empregada na desocupação da Fazenda Água Branca tomada por indígenas da etnia Kinikinaus, e que teve repercussão nacional, pode estar na linha de investigação como represália, em razão de comentários e até áudios na internet atribuindo ao prefeito apoio na mobilização policial para retirada dos indígenas.

No sábado Odilon chegou a se manifestar negando ter influído na desocupação e até relatando apoio prestado às comunidades indígenas do município. Nesta manhã peritos examinaram o local e os veículos sinistrados em busca de detalhes e pistas que ajudem no esclarecimento da situação.