Polícia Civil apreende adolescente mandante de morte em Aparecida do Taboado

Polícia Civil apreende adolescente mandante de morte em Aparecida do Taboado

COMPARTILHAR
"Guri" mandante se passou por presidiário para encomendar crime.

A Delegacia de Polícia Civil de Aparecida do Taboado, em desdobramento das investigações para apurar o assassinato de Amarildo Rossi, após a apreensão de dois adolescentes infratores que mataram a vítima a golpes de faca, obteve evidências de que a vítima teria sido morta por ordem de um terceiro indivíduo, possivelmente presidiário, e que teria prometido R$ 3 mil aos adolescentes infratores para a prática do assassinato.

A investigação policial chegou a determinado perfil da rede Facebook, o qual seria utilizado pelo mandante para manter contato com um dos adolescentes e dar-lhe ordens para a prática de ao menos dois homicídios, entre os quais o que vitimou Amarildo Rossi. Na ocasião em que foram apreendidos, ambos os adolescentes negaram que tivessem matado a vítima sob ordens de alguém, contudo, na tarde de quarta-feira (8), após ter elementos informativos acerca de diálogos travados entre o mandante e um dos adolescentes, houve nova oitiva, e os adolescentes acabaram admitindo que mantiveram contato com um indivíduo, pelo Facebook, por onde receberam a ordem para executar a vítima, mediante o pagamento de R$ 3 mil.

Um terceiro adolescente, supostamente primo do mandante, teria funcionado como mediador entre os contatos dos autores da execução da vítima e o mandante. O terceiro adolescente foi ouvido em presença de sua responsável.

Confrontado com as evidências dos diálogos, o adolescente, de 15 anos, acabou por admitir que criou um falso perfil, na rede social Facebook, fazendo-se passar por um indivíduo, que estaria preso, envolvido com a prática de diversos delitos. O adolescente esforçou-se para conferir verossimilhança ao falso perfil, e conseguiu cooptar os outros dois adolescentes, aos quais determinou a morte de duas pessoas em Aparecida do Taboado, sob a promessa de suposto pagamento em dinheiro. Uma das vítimas era Amarildo Rossi.

O adolescente disse que assim agiu por ter sido supostamente ameaçado por Amarildo Rossi, em razão de diálogos que teriam mantido na rede social Facebook. Diante dos fatos, a autoridade policial informou todo ocorrido imediatamente ao Ministério Público, e sobreveio ordem do Poder Judiciário para imediata apreensão do adolescente, responsável por arquitetar o plano que terminou no assassinato de Amarildo Rossi. O terceiro adolescente, autor mediato, encontra-se apreendido, à disposição do Poder Judiciário.

Com isso, a Polícia Civil chega a mais amplo esclarecimento das circunstâncias de autoria, materialidade e motivação da morte de Amarildo Rossi.