Polícia Civil de MS atua na Operação Estol coordenada pela PC do...

Polícia Civil de MS atua na Operação Estol coordenada pela PC do Amapá

COMPARTILHAR
Um dos líderes preso em chácara de luxo na fronteira.

A Polícia Civil do Amapá através da DRACO deflagrou na manhã dessa sexta-feira, (3), a “Operação Estol” para desarticulação de organização criminosa especializada em tráfico de entorpecentes por meio de modal aéreo. Foram cumpridos 23 mandados de busca e apreensão e 9 de prisão preventiva contra integrantes de organização criminosa responsáveis por roubar uma aeronave na cidade de Laranjal do Jari, Amapá, em março deste ano.

Os criminosos são narcotraficantes que enviavam drogas da Bolívia para o Amapá em grandes quantidades, utilizando aeronaves de pequeno porte, sendo que a liderança da organização criminosa é de Mato Grosso do Sul de onde comandava o envio de entorpecentes para o Amapá, junto com os demais membros.

Após ter sua aeronave apreendida com entorpecentes no Paraguai, o grupo criminoso providenciou o roubo de uma outra aeronave no estado do Amapá para dar continuidade no transporte aéreo criminoso. As investigações revelaram que, após o roubo da aeronave, os integrantes da quadrilha planejavam matar o piloto do avião, que mantido refém durante a ação criminosa, não foi executado graças à intervenção de um terceiro que possibilitou sua fuga.

Os mandados de busca, apreensão e prisão foram cumpridos nas cidades de Ponta Porã, Campo Grande, Belém, no Pará, Sinop. Mato Grosso, Laranjal do Jari, Amapá e Macapá, sendo que três membros da organização criminosa já estavam presos no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá – IAPEN.

Durante a ação policial foram apreendidos veículos, dinheiro, documentos e aparelhos eletrônicos, bem como, efetivados bloqueio de contas utilizadas pelo grupo criminoso. O material apreendido será analisado para eventual continuidade das investigações. A Operação contou com o apoio das Polícias Civis de MS, Mato Grosso, Pará e das delegacias de polícia de Laranjal do Jari e Mazagão no Amapá.

Em Mato Grosso do Sul, a operação foi coordenada pelo DRACCO, chefiado pela delegada Ana Cláudia Medina, com apoio das equipes policiais da 1ª e 2ª DP de Ponta Porã. O autor do roubo da aeronave no Amapá, foi preso em uma chácara luxuosa em Ponta Porã. De acordo com a delegada Ana Cláudia, foram presos 6 integrantes da organização criminosa, sendo 3 em Macapá, 1 em Laranjal do Jari e dois em MS, sendo 1 em Ponta Porã e outro em Campo Grande, estando três foragidos.

Segundo o coordenador da operação do DRACO do Amapá, o nome dado a operação compreende performance de voo denominada “Estol ou perda de sustentação (do inglês stall) é um termo utilizado em aviação.