Polícia Federal desarticula rede de casas de apoio ao PCC em Campo...

Polícia Federal desarticula rede de casas de apoio ao PCC em Campo Grande

COMPARTILHAR
Uma das casas de apoio alvo da PF

Desde as primeiras horas da manhã desta quarta-feira (26) a Polícia Federal realiza a Operação KRIMOJ, que investiga uma rede de casas de apoio ligadas a facções criminosas em Campo Grande. A ação é em conjunto com o Departamento Penitenciário Federal (DEPEN/MJSP). Cerca de 30 Policiais Federais e 15 Agentes Federais de Execução Penal compõem as equipes que cumprem seis Mandados de Busca e Apreensão expedidos pela 3ª Vara Federal de Campo Grande.

De acordo com nota da Polícia Federal, as investigações tiveram início em fevereiro deste ano, quando bilhetes com ameaças de morte a servidores públicos federais, oriundos de membros do “Primeiro Comando da Capital” (PCC), foram interceptados na Penitenciária Federal de Campo Grande. A investigação, iniciada a partir das ameaças, revelou uma rede de casas de apoio a integrantes de facções criminosas instaladas na Capital do Mato Grosso do Sul, onde podem estar armazenadas informações sobre a atuação destas facções. Além do PCC, durante as investigações, também foram identificadas casas de apoio a outros grupos criminosos, como “Família do Norte” (FDN) e “Comando Vermelho” (CV).

As casas de apoio são mantidas pelas facções, as quais financiam os custos com aluguéis, verbas para manutenção dos imóveis, passagens aéreas para os ocupantes de outros Estados, entre outros valores de custeio dos locais. Os investigados podem responder pelos crimes de organização criminosa e ameaça.

O nome da operação (KRIMOJ) é a tradução da palavra CRIMES em Esperanto, em alusão aos diversos crimes praticados pelas facções criminosas e também pelo fato de as casas de apoio serem mantidas para a troca de informações entre os membros das facções. Os coordenadores da Operação KRIMOJ apresentarão em coletiva à imprensa, às 10h, na Superintendência da PF em Campo Grande o saldo da ação.