Polícia Militar Rodoviária de São Paulo fecha o trecho para o crime...

Polícia Militar Rodoviária de São Paulo fecha o trecho para o crime e criminosos

COMPARTILHAR
Mercadorias seriam revendidas em Brasília. (Divulgação)

No andamento da “Operação São Paulo Mais Segura”, em ação fiscalizadora de trânsito, de combate a infrações administrativas e penais, Policiais Militares, da 2ª Companhia de Policia Militar Rodoviária seguem efetuando apreensões e prisões. Na abordagem de um ônibus do itinerário Campo Grande a Goiânia, e vistoria no interior do coletivo, duas passageiras, uma de 62 e outra de 51 anos, ambas feirantes e residentes em Brasília, se mostraram extremamente nervosas, o que motivou uma busca em seus pertences.

Durante vistoria no bagageiro externo os policiais localizaram diversas mercadorias, oriundas do Paraguai sem nenhuma documentação. Em fardos e malas estavam vários frascos de perfumes, cadeados, 420 maços de cigarros e vários Suplementos e Vitaminas. A ocorrência foi apresentada com as mulheres na Polícia Federal de Marília/SP, onde foram autuadas e permaneceram recolhidas para audiência de custódia e posterior encaminhamento a uma unidade prisional.

Cocaína

Em outro ponto de fiscalização pela PMR paulista, o km 616 da rodovia SP-270, a Raposo Tavares, equipe do TOR – Tático Ostensivo Rodoviário, prendeu um indivíduo que havia partido de Campo Grande após passar pela fronteira, levando na bagagem tabletes de cocaína pura. O homem de 26 anos, vendedor morador em Bauru, São Paulo, era passageiro de um ônibus da Viação Motta da linha Campo Grande/Uberaba.

Inquieto e sem saber dizer o que fazia na estrada, o indivíduo teve sua bagagem de mão vistoriada e nela os policiais localizaram duas embalagens, tabletes com cocaína que pesaram 1,665 quilo.

Questionado, o homem disse ter trocado sua camionete Ford/Ranger, placas de Agudos/SP, pela droga em transação realizada na cidade de Ponta Porã e teria como destino a Cidade de Bauru. Apesar da quantidade ser incomum para um único usuário, o homem alegou que a droga era pro seu próprio consumo ou por ventura, uma possível venda em Bauru. Foi preso e autuado em flagrante na Polícia Federal de Presidente Prudente.

Homem disse que era para uso próprio e venda só em último caso.