Polícia sem pista de homens que fuzilaram filho de capitão

Polícia sem pista de homens que fuzilaram filho de capitão

COMPARTILHAR
Veículo foi recolhido para perícia detalhada.

Apesar de operações realizadas durante toda a noite por policiais do GARRAS e GOI da Polícia Civil e ações da Polícia Militar, ainda não há informação sobre uma pista concreta que leve aos matadores de Mateus Xavier, 19 anos, executado no começo da noite de ontem (9), na porta de sua casa, na Rua Antônio Vendas, no Jardim Bela Vista. Mateus retirava da garagem a camionete do pai, o ex-capitão da PM Paulo Xavier, quando foi atacado a tiros de fuzil calibre 7,62 e atingido com cerca de sete tiros.

Por conta de antecedentes do pai, preso por envolvimento com quadrilha que explorava máquinas de jogos, que inclusive já provocou assassinato de outros envolvidos, a polícia inicialmente suspeita que o alvo dos matadores seria o pai de Mateus. No momento do ataque, o rapaz manobrava a S-10 do pai, que impedia a saída de seu carro da garagem.

Mateus chegou a ser levado para a Santa Casa pelo pai, teve ajuda do Corpo de Bombeiros que atendia um acidente no trajeto rumo ao hospital, mas morreu antes de socorro médico. A S-10 com muitas marcas de tiros e sangue foi deixada por Xavier no pátio do hospital, onde após perícia preliminar foi levada para a sede do Garras pera perícia minuciosa nessa quarta-feira.