População do Tocantins é alvo do golpe do falso empréstimo consignado

População do Tocantins é alvo do golpe do falso empréstimo consignado

COMPARTILHAR
Imagem ilustrativa (Reprodução/Internet)

A Polícia Civil do Tocantins emitiu alerta à população sobre o golpe do falso empréstimo consignado. Os funcionários públicos são o principal alvo. O golpe consiste na veiculação de anúncios de concessão de empréstimos, utilizando nome de empresas reais. As vítimas acham que estão conversando com um funcionário da empresa mas, na verdade, estão em contato com golpistas. O delegado Cassiano Ribeiro Oyama dá dicas de como não cair no golpe.

“A primeira delas é checar se a empresa de fato existe. Essa checagem, simples, com fonte aberta na internet já pode tirar essa dúvida. Segundo é saber o conceito dessa empresa no site de reclamação e por último e o mais importante é ligar no telefone fornecido, pela internet, da instituição financeira.”

O delegado também orienta que as pessoas vítimas do falso empréstimo consignado registrem ocorrência na 1ª Delegacia de Palmas, para contribuir com as investigações.
A Polícia Civil de Tocantins trabalha em conjunto com a polícia de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Minas Gerais. Há suspeita de que os criminosos também estejam agindo nesses estados.

EXPLORAÇÃO

Independente do golpe alertado pela Polícia Civil do Tocantins e que se alastra por outros estados, o empréstimo consignado tratado de forma indiscriminada por bancos, corretoras, subcorretoras e zangões (caçam idosos em filas de bancos e levam para corretoras), está fazendo uma legião de idosos literalmente falidos em todo o Brasil. Paralelo ao caso alertado pela polícia, existe e ninguém adota providência, sobre o custo abusivo de cada empréstimo concedido em que o aposentado paga até cinco vezes mais dependendo do prazo para descontos.

COISA SUSPEITA

Outra situação suspeita no empréstimo consignado e que deveria chamar a atenção da Polícia Federal, Ministério Público Federal e mesmo do INSS, é a facilidade com que bancos, financeiras e corretoras acessam informações sobre aposentados. Existem casos comprovados, de que o cidadão acabou de dar entrada no pedido de aposentadoria junto ao INSS, e em poucas horas recebe telefonemas de bancos ou corretoras disponibilizando empréstimo consignado.

Em outras situações o cidadão é comunicado pela INSS de que a aposentadoria foi concedida, e no mesmo dia financeiras ou bancos telefonam já disponibilizando dinheiro. Caso ocorrido há menos de uma semana em Campo Grande, quando o cidadão horas após ser avisado da concessão, foi procurado por um banco e informado que já estava disponível R$ 40 mil em suaves prestações de R$ 160/190 mil. O novo aposentado que já havia sido alertados por amigos, simplesmente disse não, mas o assédio continua.

COBRANÇA INDEVIDA 

Como se a agiotagem legalizada anda fosse pouco para desgraçar a vida financeira do aposentado que acaba se “encantando” com as ofertas o que soma à suas necessidades, está havendo casos de banco cobrando parcelas que supostamente o INSS não pagou. O banco faz telefonemas, envia correspondências e negativa o aposentado, alegando que ele está devendo parcelas ou o consignado inteiro que o INSS não pagou.

Em Mato Grosso já existe caso em que banco foi condenado por negativar aposentado que nem havia efetuado o empréstimo, a operação era falsa, situação devidamente comprovada até por assinaturas que não eram do aposentado. O banco foi condenado a indenizar o prejudicado.