Preços de serviços bancários variam em até 282,65 %. Aponta pesquisa do...

Preços de serviços bancários variam em até 282,65 %. Aponta pesquisa do Procon

COMPARTILHAR
Serviços bancários não diferem muito da agiotagem.

Tendo em vista a ocorrência de divergências de valores entre os pacotes de serviços prestados pela rede bancária em Campo Grande, a Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor – Procon/MS, órgão da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho – Sedhast, realizou pesquisa junto a 7 unidades da rede bancária, no período de 10 a 13 de março em curso, tendo detectado diferença de até 282,65 por cento.

São quatro serviços denominados “Padronizado” que vão de I a IV e universitário pesquisados nos bancos do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco, Santander, Sicredi CG e Sicredi União ficando constatado que a maior diferença (282,65%) está no pacote denominado “Universitário”, uma vez que os custos na Caixa Econômica Federal são de R$ 15,00 enquanto no Sicredi CG são de R$ 3,92. A menor diferença foi verificada no pacote “Padronizado III”. Esse serviço é prestado pelo Sicredi União por R$ 16,00 e pelo Itaú Unibanco o mesmo serviço custa R$ 28,90.

Os pacotes são diferenciados de acordo com o tipo de serviço a que o cliente tem direito. A confecção de cadastro para início de relacionamento, por exemplo, é grátis em todos as modalidades. A diferença começa pela emissão de folhas de cheque mensalmente, que no padronizado I não tem direito enquanto o II pode adquirir duas folhas, o III 5 folhas e o IV 10 folhas por mês.

Em relação a saques tanto o padronizado I como o II tem direito a quatro por mês. Já o III pode realizar 6 e o IV, quatro mensalmente. Para extratos, também há diferença de acordo com o nível. Em se falando de transferências, tanto por meio de DOC como de TED, o nível I não tem direito, enquanto para o II é permitido uma por mês e, para o III e IV há possibilidade de duas e três respectivamente. Há que se levar em consideração que os valores que constam como tarifas podem ser alterados a qualquer momento dado ao fato de que os bancos têm períodos diferentes de vigência.

O levantamento estabeleceu, também, termos comparativos entre os valores praticados no ano passado (2019) e este ano. A maior evolução tem a ver com o pacote Padronizado II com acréscimo de 5,34%. Em 2 019 os custos eram em média R$ 18,95 enquanto atualmente essa média é de R$ 20,02. Ressalte-se que houve evolução para menor, com índice de até -2,62%, como é o caso do pacote Padronizado IV. Neste caso, os valores médios do ano passado foram de R$ 39,91 enquanto, agora, a média é de R$ 38,89.