Presidente da Fecomércio-RJ é preso por conta da Lava Jato no Rio

Presidente da Fecomércio-RJ é preso por conta da Lava Jato no Rio

COMPARTILHAR

O presidente da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), Orlando Diniz, foi preso, na manhã desta sexta-feira (23), pela Polícia Federal e Ministério Público Federal do Rio de Janeiro (MPF-RJ). A ação faz parte da Operação Calicute, mais um desdobramento da Operação Lava Jato. Outras três pessoas são alvos de mandados de prisão.

Os envolvidos são acusados dos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e pertencimento a organização criminosa. Além dos quatro mandados de prisão, há também mandados de busca e apreensão sendo cumpridos. O prédio onde Diniz mora no Leblon, na Zona Sul do Rio, foi alvo da operação. Além dele, um dos locais alvo de buscas é a sede do sistema Fecomércio, na Rua Marquês de Abrantes, no Flamengo, também na Zona Sul.

Os investigadores apuram indícios de que Diniz usou o esquema de lavagem de dinheiro montado pela organização criminosa do ex-governador do Rio, Sérgio Cabral. Segundo a investigação, a organização também mantinha sete funcionários fantasmas no “Sistema S”, que eram pessoas e parentes ligados a membros da quadrilha.

Além de presidente Fecomércio-RJ, Diniz também é presidente afastado do Sesc-Rio. Ele foi afastado do comando do Sesc em dezembro pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por suspeita de irregularidades no comando dessa entidade.