Preso em cela VIP de Penitenciária Regional, é transferido para Assunção

Preso em cela VIP de Penitenciária Regional, é transferido para Assunção

COMPARTILHAR

Antônio Coca

O preso Faustin Ramón Aguayo Cabañas, (44), foi transferido nesta quinta-feira (14) da Penitenciária Regional de Pedro Juan Caballero, para uma das celas da Agrupacion Especializada da Polícia Nacional em Assunção. Pela manhã, ele foi surpreendido por membros da Força Tarefa que investiga a morte de quatro pessoas em uma chacina ocorrida na manhã do dia 9 em frente a uma casa de eventos em Pedro Juan Caballero, em uma cela VIP na Penitenciária Regional.

Com ele foi encontrada Mirna Keldryn Romero Lesme de 21 anos, que seria a amante dele e que era viúva de um ex-agente especial da SENAD, assassinado depois de renunciar ao cargo. Mirna já teria sido namorada de Dênis Servín, o Dênis Pimentinha assassinado no final de agosto ao deixar uma festa rave em Ponta Porã e de Osmar Vicente Álvarez Grance de 30 anos, o “Bebeto”, um dos mortos na chacina ao lado da filha do governador do Departamento de Amambay e de duas estudantes de medicina. A polícia investiga se a mulher seria um dos motivos das mortes do ex-companheiro ou mesmo se há ligações entre os crimes.

Cabañas é acusado de tráfico de drogas, se entregou para a justiça paraguaia e comandava seus negócios de dentro do presídio em uma espécie de apart hotel, com mordomias e regalias que só foram descobertas na manhã de ontem. O local para onde ele foi levado é o mesmo onde o traficante brasileiro Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto que tinha sido preso em dezembro de 2017 acusado de homicídio e falsificação de documentos e tráfico de drogas, matou em novembro de 2018 a jovem Lídia Meza Burgos, de 18 anos que tinha ido visita-lo.

Mesmo sem nenhum vínculo com Piloto a entrada dela foi permitida e ela acabou morta com uma faca de mesa. A justiça do Paraguai disse há época que ele cometeu o crime para evitar a extradição para o Brasil. Mesmo assim ele foi entregue para as autoridades brasileiras e cumpre pena em um presídio federal.

Membros da Força Tarefa continuam investigando a ligação de Cabañas com a chacina e diversos aparelhos de celulares encontrados com ele e a amante e uma caderneta com anotações serão periciados. Mirna foi colocada em liberdade. Ela teria chegado na noite de quarta-feira na penitenciaria em uma caminhonete Toyota Fortuner sem placas que foi encontrada no estacionamento do local.

Cabañas agora recolhido em unidade especial.