Preso pelo GAECO, ex-comandante da PM em Dourados é inocentado por unanimidade

Preso pelo GAECO, ex-comandante da PM em Dourados é inocentado por unanimidade

COMPARTILHAR
Tenente-Coronel Carlos Silva.

Antônio Coca

Depois de ser preso em uma operação do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) acusado dos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o ex-comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar em Dourados, tenente coronel Carlos Silva, foi absolvido na tarde de ontem (9) em julgamento do Conselho Especial de Justiça Militar.

Sob a suspeita de integrar um grupo de militares que favoreceria um esquema de contrabando de cigarros em troca de propina, Carlos Silva, foi detido na casa dele em Dourados no dia 15 de maio do ano passado, ficou mais de 150 dias preso e foi afastado das funções e vinha aguardando o julgamento em liberdade.

Na análise da denúncia feito na tarde desta segunda-feira, os cinco juízes do Conselho votaram contra o acolhimento do parecer do Ministério Público Estadual (MPE) e julgaram as denúncias improcedentes. Outros militares presos na Operação Avalanche também estão sendo julgados das mesmas acusações e alguns foram igualmente inocentados. O ex-comandante Carlos Silva ainda não se pronunciou sobre a sentença.