PRF barra comboio de carretas com mais de R$ 12 milhões em...

PRF barra comboio de carretas com mais de R$ 12 milhões em cigarros contrabandeados

COMPARTILHAR
Comboio seguiria para Mato Grosso (Fotos: Divulgação/PRF)

A Polícia Rodoviária Federal – PRF – realizou na tarde desta quinta-feira (15), a segunda maior apreensão de cigarros contrabandeados do país, neste ano. Foi um comboio de cinco carretas bi trens completamente carregadas com cigarros fabricados no Paraguai. Quatro motoristas já haviam sido presos pela PRF em janeiro deste ano pelo mesmo crime. Naquela ação um comboio de seis carretas bi trens com cigarros contrabandeados foi interceptado e os motoristas presos pelo contrabando.

A apreensão de quinta-feira, realizada pela PRF na rodovia BR-060, município de Sidrolândia, envolveu diversas equipes da PRF. Inicialmente, três carretas foram interceptadas e buscas levaram à apreensão de outras duas, uma em Sidrolândia e outra no município vizinho, em Maracaju, ao todo cinco carretas. Cada caminhão-trator (cavalo mecânico) tracionava dois reboques graneleiros (bitrem) completamente carregados com cigarros. Ao todo foram apreendidos 15 veículos entre cavalos e reboques.

Cada conjunto ‘bitrem’ levava pelo menos 900 caixas de cigarros. O número representa pelo menos 225 mil pacotes ou 2.250.000 de maços. Segundo estimativa da instituição, cada maço representa R$ 5,50 em prejuízo para o contrabando e toda apreensão está avaliada em R$ 12.000.000 (doze milhões de reais). Possível destino – Todas as carretas e motoristas são do Estado de Goiás. Segundo declarações dos presos toda a carga de cigarro foi carregada na fronteira com o Paraguai e tinha como destino Rondonópolis, no Mato Grosso.

Suspeita – Policiais Rodoviários Federais suspeitaram inicialmente de um grupo de três carretas que trafegavam juntas pela rodovia BR-060, que interliga importantes rotas para fronteira com o Paraguai. Ao abordá-las os policiais encontraram grande quantidade de cigarros contrabandeados sob a lona do caminhão destinado ao transporte de grãos.

Diligências foram realizadas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que resultaram na apreensão de outras duas carretas bitrens, na mesma rota de fronteira. Os quatro presos e o motorista que fugiu, já haviam sido presos quando da apreensão de um comboio de seis veículos. Em razão do crime transnacional todos os quatro presos e as cinco carretas foram novamente encaminhados para a Polícia Federal em Campo Grande pelos mesmos crimes anteriormente cometidos.

Um, recorde após outro