PT recorre à Justiça contra Moro e Bolsonaro por áudio relacionado ao...

PT recorre à Justiça contra Moro e Bolsonaro por áudio relacionado ao PCC

COMPARTILHAR

O Partido dos Trabalhadores (PT) irá à Justiça contestar na Justiça as mensagens de áudio obtidas pela Polícia Federal no âmbito da Operação Cravada, que desmantelou o núcleo financeiro do Primeiro Comando da Capital (PCC). Segundo as investigações, os áudios revelam ligação entre a facção criminosa e o Partido dos Trabalhadores.

Em nota oficial divulgada pela comunicação interna do partido, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, aponta a ação de divulgação do material representa um “uso político das polícias”. As ações do partido começarão nesta segunda-feira (12) e serão divididas em três frentes.

A primeira delas, ainda de acordo com a nota oficial, será contra o ministro Sergio Moro; a segunda contra veículos de comunicação, para que estes se retratem publicamente, e também contra o presidente Jair Bolsonaro e contra a deputada estadual Ana Campanolo (PSL).

As mensagens

Mensagens de áudio obtidas pela Polícia Federal no âmbito da Operação Cravada, deflagrada para desestruturar o núcleo financeiro do Primeiro Comando da Capital (PCC) apontam ligação entre a facção criminosa e o Partido dos Trabalhadores (PT). Nas mensagens, um dos líderes da organização afirma que havia diálogo com o PT. Em meio às declarações, o criminoso faz críticas ao ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Em um dos trechos das conversas, Alexsandro Roberto Pereira, conhecido como Elias, apontado na investigação como tesoureiro da facção, critica as primeiras medidas do governo Bolsonaro em relação à segurança pública. “Os caras tão no começo do mandato dos cara, você acha que os cara já começou o mandato mexendo com nois irmão. Já mexendo diretamente com a cúpula, irmão”.

Em seguida, Elias faz críticas ao ministro Sérgio Moro, e reclama da ausência de diálogo. “Com nois já não tem diálogo, não, mano. Se vocês estava tendo diálogo com outros, que tava na frente, com nois já não vai ter diálogo, não. Esse Moro aí, esse cara é um filha da p, mano. Esse cara aí é um filha da p mesmo, mano. Ele veio pra atrasar”, disse.

Fonte: Correio Braziliense