Seguidas e longas horas sem energia, gera suspeita de racionamento por parte...

Seguidas e longas horas sem energia, gera suspeita de racionamento por parte da Energisa

COMPARTILHAR
Imagem ilustrativa

Grande parte da população de Mato Grosso do Sul começa suspeitar que a concessionária Energisa possa estar aplicando a prática de racionamento velado de energia. A suspeita por parte de consumidores acontece por conta do grande número de casos de falta de energia em praticamente todas as cidades do Estado.

De uma só vez vários municípios ficam sem energia por até 11 horas e em nenhuma das situações é dada explicação que convença o usuário. Muitos perdendo alimentos em geladeira, pessoas tendo problemas de saúde pois fazem uso de aparelhos inclusive respiratórios, além de problemas de segurança por conta da escuridão, além de panes em equipamentos em razão da oscilação da energia antes do corte.

De uma só vez várias cidades estão ficando sem energia por até 11 horas e em nenhum dos casos a Energisa informa algo convincente. Nesta quarta-feira (25) por exemplo, acabou a energia no Bairro Silvia Regina pouco depois de 18h, em seguida retornou, mas por poucos minutos, passou a oscilar (acendendo e apagando), restando apenas uma fase da rede e assim permaneceu até por volta de 2/3h da madrugada.

No Nova Campo Grande a situação foi a mesma e em muitas ligações para o 0800 da concessionária, a resposta era de que o problema realmente existia, não havia previsão para restabelecimento da energia e que normalmente o prazo para isso é de quatro horas, o que na realidade está sendo muito diferente em alguns casos até três vezes mais.

Racionamento

Diante da frequência do problema em todo o Estado, Campo Grande é um dos exemplos, as pessoas começam a pensar em situação proposital por parte da concessionária com racionamento às “escondidas”. Na avaliação de pessoas, inclusive que conhecem o sistema, como distribuidora, a Energisa precisa pagar à geradora pela energia que recebe e revende ao usuário.

Tecnicamente poderia parecer um péssimo negócio, pois se não fornece não arrecada, o caso é que recebendo menos energia, logicamente pagará menos para a geradora, mas para o consumidor o pagamento é o mesmo de sempre e cada vez mais. Até o fechamento desta matéria não havia sido possível contato com a Energisa para tratar do assunto, o que insistiremos durante o dia.