Sejusp inicia discussões para criar setor de perícias em animais domésticos e...

Sejusp inicia discussões para criar setor de perícias em animais domésticos e silvestres

COMPARTILHAR
Foto: Divulgação/Sejusp

O secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Antônio Carlos Videira, recebeu na tarde desta quarta-feira (9), representantes do Conselho Regional de Medicina Veterinária, da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (Fapec) e o deputado estadual José Carlos Barbosa, para discutir a questão de abusos, maus tratos e perícias em animais domésticos e silvestres.

Na reunião, o vice-presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Ceará, Daniel Viana, apresentou o projeto que vem sendo realizado naquele estado, onde as perícias em animais são feitas por médicos veterinários credenciados. “O crime ambiental sempre existiu, bem como os maus tratos, pautas muito importantes e por isso a gente procurou as entidades do Ceará para oferecer a nossa expertise nas perícias e fizemos uma proposta conjunta de ações que vem dando certo”, destacou o veterinário Daniel.

De acordo com o secretário Carlos Videira a reunião é o embrião para a criação de um setor de perícia em animais, dentro da Coordenadoria-Geral de Perícias. “Primeiramente precisamos criar uma estrutura e depois a ideia é contratar peritos médicos veterinários para atuarem especificamente com perícia de animais domésticos e silvestres”, disse.

Porém, segundo Videira, para que seja criado um setor de perícia em animais, há necessidade de alterações na lei orgânica da Polícia Civil. “É algo que demanda tempo e para isso contamos como apoio do deputado Barbosinha, mas não podemos esperar, com a criação da Deleagro, mais a demanda reprimida da Decat, há necessidade de dar vazão aos exames periciais e a ideia é firmarmos um Termo de Cooperação Técnica, nos moldes daquele existente no Ceará, para buscar formas de contratar essa perícia especializada”, explicou o secretário.

Representando a Polícia Civil na reunião, a delegada Aline Sinott lembrou que o grande problema hoje é a materialidade do fato. “Essa materialidade só é possível com a perícia, que em animais é uma atribuição dos médicos veterinários”, pontuou.

O presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul, Rodrigo Piva afirmou que a entidade irá dar o apoio necessário para tirar do papel o projeto da perícia em animais. “Temos médicos veterinários em todos os municípios, que podem dar a sua contribuição na realização das perícias, por meio de um Termo de Cooperação entre o Conselho e a Sejusp”.

Fonte: Sejusp