Sem o governador original, Rio de Janeiro pode também ficar sem o...

Sem o governador original, Rio de Janeiro pode também ficar sem o prefeito

COMPARTILHAR

A Câmara Municipal vota na tarde desta quinta-feira o pedido para abrir um processo de impeachment contra o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), por suposto crime de improbidade administrativa. A sessão começou por volta das 15h.

O pedido foi protocolado pela deputada estadual Renata Souza (PSOL) como reposta à denúncia veiculada pela TV Globo, de que grupos organizados de servidores municipais são pagos pela prefeitura para constranger o trabalho da imprensa na porta das unidades de saúde do município e impedir que a população dê entrevistas. O grupo ficou conhecido como ‘Guardiões do Crivella’.

A votação é por maioria simples de votos. No total, 50 vereadores estão aptos a votar. A exceção fica por conta do presidente da Casa, Jorge Felippe (DEM), que está na linha sucessória para assumir a prefeitura, caso Crivella tenha o mandato cassado.

Segundo a Câmara, se o pedido de impeachment for aprovado, haverá sorteio, ainda na sessão de hoje, para a escolha de três vereadores que vão compor uma Comissão Processante. A comissão terá até cinco dias para intimar o prefeito a apresentar sua defesa, num prazo de 10 dias.

Caso o processo de impeachment seja aprovado, em 90 dias haverá decisão final se Marcelo Crivella terá o mandato cassado ou se o processo será arquivado.