Senador Nelsinho Trad inclui Rota Bioceânica em discussão no Parlamento do Mercosul

Senador Nelsinho Trad inclui Rota Bioceânica em discussão no Parlamento do Mercosul

COMPARTILHAR
Membros do Parlamento aprovam proposta de Nelsinho.

Os membros do Parlamento do Mercosul aprovaram por unanimidade nesta tarde a proposta do senador Nelsinho Trad (PSD/MS) de inserir o Corredor da Rota Bioceânica no I Seminário de Integração de Infraestrutura de Transporte Ferroviário na América do Sul, previsto para o próximo dia 12 de agosto, em Assunção, no Paraguai.

“Esse será o primeiro seminário patrocinado pelo Parlasur (Parlamento do Mercosul) que inclui Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Estou muito feliz, já valeu a nossa participação, entramos no radar e mostramos que esse projeto é prioritário não só para Mato Grosso do Sul, mas também para o Brasil”, afirmou o senador Nelsinho Trad, em vídeo postado em suas redes sociais, após a reunião em Montividéu, no Uruguai.

Durante o encontro, o senador Nelsinho Trad explicou sobre o trajeto da Rota Bioceânica, que ligará Santos (no Brasil) a Antofagasta (no Chile), passando por Mato Grosso do Sul, pelo Chaco paraguaio e pelo norte da Argentina. “Quando concluído o corredor, essa rota reduzirá o trajeto para o continente asiático em quase oito mil quilômetros, e vai constituir uma plataforma de integração das cadeias produtivas, do turismo e do desenvolvimento geral da região abrangida”, destacou o senador.

Após ouvi-lo, todos concordaram e já deliberaram sobre a importância de contar com a presença das autoridades de Mato Grosso do Sul no seminário. “É importante ter os representantes da ferrovia e o governador”, comentou o presidente do Parlasur, Daniel Caggiani.

Para o senador Nelsinho Trad, o projeto Rota Bioceânica está em andamento e deverá ser finalizada em dois anos no Brasil. “Precisa construir a ponte Carmelo peralta que liga Porto Murtinho a Carmelo Peralta, através do Paraguai. E, com isso, avançar para acelerar o projeto e fazer com que a Rota Bioceânica seja a realidade dentro daquilo que ela vai proporcionar, que é redução do custo do frete, melhoria e otimização das exportações do agronegócio e reduzir em 8 mil km a rota marítima para as exportações na Ásia, ou seja, vai baratear custos e fomentar a questão turística. Algumas coisas já avançamos. Já temos o financiamento de R$ 65 milhões da Itaipu Binacional, o Paraguai já está com o canteiro de obra instalado, obra sendo executada, ao terminar isso, aí penso que num prazo máximo de dois anos, isso já deva estar pronto”, explica o senador.

Com Assessoria/Neiba Ota