SIG prende trio e esclarece crime em campo de futebol de Dourados

SIG prende trio e esclarece crime em campo de futebol de Dourados

COMPARTILHAR

Antônio Coca

Na tarde do último domingo o SIG foi informado sobre um homicídio ocorrido no Bairro Canaã I, vitimando Gustavo da Silva Pereira, morto a tiros. Com as investigações, iniciadas logo após a prática do crime, os policiais definiram a possibilidade de Gustavo ter sido morto por motivo passional, pois teria se envolvido com uma jovem cujo ex-namorado não aceitava o fim do relacionamento.

As investigações e buscas revelaram que Jhonatan Queiroz do Prado, vulgo “Loirinho”, 20 anos, com passagem por tráfico de drogas, teria sido o autor dos disparos contra a vítima, que foi atingida nas costas e na cabeça. Apurou-se, ainda, que por volta das 14h do domingo, ou seja, momentos antes de ser morto, Gustavo foi atraído por uma pessoa com quem ele possuía amizade até o campo de futebol existente no Bairro Canaã I, com a desculpa de efetuar a troca de capacetes.

Ao chegar no local para efetuar a troca dos capacetes, essa pessoa, que Gustavo tinha como amiga, pediu a motocicleta da vítima emprestada, ocasião em que o indivíduo, vindo por trás, efetuou os disparos de arma de fogo. A motocicleta de Gustavo, após ele ser morto, foi abandonada poucas quadras depois do campo de futebol.

Os trabalhos de investigação que estendeu-se até a data de ontem (30), apontaram que Ryan Silveir Cardozo, 18 anos, ex-namorado da pessoa com quem Gustavo manteve um relacionamento, armou o crime em coautoria com Jhonatan e Matheus Henrique Machado Souza, de 22 anos. Sobre Ryan, a polícia define como indivíduo com passagens pelo crime de roubo, quando menor de 18 anos, o qual forneceu a arma de fogo para Jhonatan matar Gustavo.

Na verdade, Ryan observou a prática do crime, pois se encontrava escondido dentro do vestiário existente no campo de futebol do Canaã I. A Matheus coube a função de atrair Gustavo até o local onde seria morto, uma vez que telefonou para a vítima e marcou um encontro na frente do campo de futebol. Com a dinâmica dos fatos evidenciados, a prisão de Jhonatan foi realizada por volta das 20h30 de segunda-feira, quando ele estava nas proximidades da Praça do Cinquentenário.

Jhonatan alegou que matou Gustavo por vingança, uma vez que a vítima teria participado da morte de Mateus Nunes em 2017. Já Ryan foi preso por volta das 22h30, de segunda-feira, em uma casa localizada no Distrito da Picadinha, município de Dourados.

Ao ser preso ele indicou que a arma do crime, um revólver calibre 38, encontrava-se escondido há cerca de 100 metros da casa, em um matagal, onde foi encontrado com várias munições. Ryan contou que arquitetou a morte de Gabriel em razão da vítima estar mantendo um relacionamento com a ex-namorada dele. Finalmente, Matheus Souza foi preso na manhã de ontem (terça-feira), quando tentou fugir pulando muros, mas foi preso pelo SIG.

Matheus, em contraposição às provas, alegou que foi uma “coincidência” Gustavo ter sido morto no exato momento em que eles tratavam sobre a troca do capacete. Os três foram presos em flagrante pela prática de homicídio qualificado pela futilidade, traição e emboscada, sendo representado pela decretação da Prisão Preventiva deles.